Sexta-feira, 4 de Outubro de 2013

Fé nos poderes mágicos dos políticos e governação

Lendo isto fica-se com a sensação de que o concelho de Oeiras é o mais rico do país por causa de Isaltino. Mais fé nos poderes mágicos da governação. Não será que o concelho de Oeiras tem o maior nível de vida porque os seus residentes têm um nível social superior à média do país? E que a sua posição geográfica, adjacente à capital, o tornou naturalmente apetecível para a fixação da referida população? Isaltino foi o oportunista que conquistou o lugar-chave de protagonismo que lhe permite passar por fazedor-de-milagres quando os outros, os residentes, trabalharam melhor e pagaram mais. Com um maior nível de recursos e alguma vontade de projectar, Isaltino cavalgou a onda, mas se outro, minimamente competente e talvez mais honesto, também o tivesse feito, os resultados não seriam provavelmente melhores?

publicado por João Pereira da Silva às 10:17
link do post | comentar
2 comentários:
De António Silva a 6 de Outubro de 2013 às 13:31
Acho muito mal estar a desvalorizar a obra do Isaltino.

Quando ele chega a Oeiras o concelho tinha milhares de pessoas a viver em barracas.

Tinha uma série de áreas urbanas bastante desqualificadas.

Era ainda um concelho marcadamente industrial e com pouco peso no sector terciário.


Confrontado com esta situação Isaltino Morais desenvolveu uma estratégia que se veio a relevar bem sucedida.

Erradicou os bairros de barracas dando uma habitação digna a milhares de pessoas;
Usou os fundos europeus para investir na melhoria do território através da edificação de diversos equipamentos culturais, sociais, etc...

Obrigou os promotes imobiliários a construírem escritórios em vez de habitação. Criou portanto as condições para que as empresas se instalassem no concelho;

Conseguiu que o TagusPark fosse implantado em Porto Salvo dando uma nova dinâmica a uma zona periurbana sem grande actividade económica.


Relativamente aos outros concelhos, não souberam aproveitar as suas potencialidades. Portanto parece-me que o seu argumento não tem grande validade. Isaltino Morais teve a capacidade de planear uma estratégia e a executar. Pelo contrário, os outros autarcas limitaram a fazer uma gestão corrente. Os resultados estão à vista e são inequívocos. Isaltino Morais é um dos grandes responsáveis pelo desenvolvimento do concelho de Oeiras. Tendo em conta a má qualidade dos restantes autarcas da zona de Lisboa, duvido que algum pudesse sequer chegar aos calcanhares do Dr. Isaltino Morais.
De João Pereira da Silva a 6 de Outubro de 2013 às 14:12
António Silva,

"Com um maior nível de recursos e alguma vontade de projectar, Isaltino cavalgou a onda, mas se outro, minimamente competente e talvez mais honesto, também o tivesse feito, os resultados não seriam provavelmente melhores?"

Acho o seu comentário mais do mesmo: "roubou mas fez" e perigoso do ponto de vista do que somos capazes de fazer para julgar justamente os nossos políticos. Helmut Kohl unificou a Alemanha, foi apanhado num escândalo de financiamento ilegal e foi condenado. Obra feita, reputação para sempre desfeita. O mesmo devia ter acontecido a Isaltino, mas nós insistimos em idolatrá-lo. O problema é nosso, não dele. Depois queixamo-nos dos políticos que temos quando somos nós a fazê-los e a permitir o seu comportamento ilegal. É uma questão de escolha e como somos sempre nós a pagá-las faz parte da nossa liberdade de "fazer a cama em que nos deitamos".

Comentar post

Pesquisar neste blog

 

Autores

Posts mais comentados

Últimos comentários

A verdade é sempre um problema. Temos os problemas...
Obrigado eu por o ler.
De facto, o orgulho em nós próprios, nas nossas es...
Os comunas ou marxistas são assim em todo o lado...
Pura corrupção xuxa-kostista

Arquivos

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Links

Tags

25 de abril

5dias

adse

ambiente

antónio barreto

antónio costa

arquitectura

atentado

austeridade

banca

banco de portugal

banif

be

bes

bloco de esquerda

blogs

brexit

carlos costa

cartão de cidadão

catarina martins

causas

cavaco silva

censura

cgd

comentadores

cortes

crise

cultura

daniel oliveira

deficit

desemprego

desigualdade

dívida

educação

eleições autárquicas

ensino

esquerda

estado social

euro

europa

férias

fernando leal da costa

fernando ulrich

fiscalidade

francisco louçã

grécia

greve

impostos

irs

itália

jorge sampaio

jornalismo

josé sócrates

justiça

lisboa

malomil

manifestação

marcelo

marcelo rebelo de sousa

mariana mortágua

mário centeno

mário nogueira

mário soares

mba

nicolau santos

obama

oe 2017

orçamento

pacheco pereira

passos coelho

paulo portas

pcp

pedro passos coelho

política

portugal

ps

psd

público

quadratura do círculo

raquel varela

renzi

rtp

salário mínimo

sampaio da nóvoa

saúde

sns

socialismo

socialista

sócrates

syriza

tabaco

tap

tribunal constitucional

troika

ue

união europeia

urbanismo

vasco pulido valente

venezuela

vítor gaspar

todas as tags

Gremlin Literário no facebook

blogs SAPO

subscrever feeds

Sitemeter