Terça-feira, 1 de Maio de 2012

Custos de Insularidade

(Originalmente publicado no Senatus, em 17 de Setembro 2011)

 

 

 

Para Carlos Abreu Amorim, a situação na Madeira "não é assim tão diferente daquela que Portugal viveu em 2010, com números de défice sucessivamente alterados e corrigidos para cima". Estas palavras desiludiram o Diogo e levaram-me a fazer contas. À merceeiro, porque chega perfeitamente; quem me dera que "os decisores políticos", imortalizados nas palavras do grande estadista Cavaco Silva, recorressem a este método com mais frequência para "conduzir políticas orçamentais correctas".

 

Números gordos, a Madeira conta 250 mil habitantes. A dívida "omitida" por Alberto João Jardim soma 1,7 mil milhões de euros. Fazendo a proporção para 10 milhões de habitantes, a "omissão" correspondente seria de 68 mil milhões de euros.

 

Este montante, de 68 mil milhões de euros, seria o valor da gentileza se Jardim fosse, Deus me perdoe, Primeiro Ministro. E se tratasse de acarinhar os portugueses com o mesmo enlevo com que zela pelo bem estar dos madeirenses.

 

Jardim não é, portanto, comparável a Sócrates. Jardim é muito maior. Também no método, porque Sócrates, tanto quanto se sabe, foi fazendo passar as suas contas pela Assembleia da República. Jardim não desperdiçou recursos com intermediários inúteis e perniciosos.

 

Aguardo, com ansiedade, a actuação de Passos Coelho. E a "magistratura de influência" de Cavaco Silva. Até lá, suspendo a emissão de recibos, os pedidos de facturas e a prestação de quaisquer contas ao Estado português. Primeiro gostava de perceber se estou dispensada de formalidades incómodas e se posso, à imagem dos nossos governantes, dar mimo ao meu agregado familiar. Depois não se fala mais nisso, como se usa agora: o que lá vai, lá vai. Ou se a dispensa dessas formalidades é uma benesse concedida pelo Estado português aos responsáveis madeirenses como política compensatória para equilibrar os famosos "custos de insularidade".

 

Era conveniente que não demorassem a tomar uma decisão. Enquanto espero, posso ser presa.

 

publicado por Margarida Bentes Penedo às 13:31
link do post | comentar

Pesquisar neste blog

 

Autores

Posts mais comentados

177 comentários
16 comentários
10 comentários

Últimos comentários

O professor Rebelo de Sousa, se lhe pedirem para d...
Só um povo como os portugueses´consegue gerar polí...
Muito bem.
O que me espantou foi o elevado número de político...
As conclusões são simples, se houver honestidade, ...

Arquivos

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Links

Tags

25 de abril

5dias

adse

ambiente

antónio costa

arquitectura

austeridade

banca

banco de portugal

banif

be

bes

bloco de esquerda

blogs

brexit

carlos costa

cartão de cidadão

catarina martins

causas

cavaco silva

censura

cgd

comentadores

comunismo

cortes

costa

crescimento

crise

crise política

cultura

daniel hannan

daniel oliveira

deficit

descubra as diferenças

desemprego

desigualdade

dívida

educação

eleições autárquicas

eleições europeias

ensino

esquerda

estado social

euro

europa

férias

fernando leal da costa

fiscalidade

francisco louçã

grécia

greve

impostos

irs

itália

jorge sampaio

jornalismo

justiça

lisboa

malomil

manifestação

marcelo

marcelo rebelo de sousa

mariana mortágua

mário centeno

mário nogueira

mário soares

mba

nicolau santos

obama

oe 2017

orçamento

pacheco pereira

passos coelho

paulo portas

pedro passos coelho

política

portugal

ps

quadratura do círculo

raquel varela

renzi

rtp

salário mínimo

sampaio da nóvoa

saúde

sns

socialismo

socialista

sócrates

syriza

tabaco

tap

tribunal constitucional

troika

ue

união europeia

urbanismo

vasco pulido valente

venezuela

vítor gaspar

todas as tags

Gremlin Literário no facebook

blogs SAPO

subscrever feeds

Sitemeter