Quinta-feira, 5 de Dezembro de 2013

Santos e pecadores

A mais antiga profissão do mundo sempre foi mal vista: vender a prática de actos íntimos a quem os compra para disso retirar prazer é objectivamente degradante; e é por isso que a natureza deles supõe uma gratuitidade que o vil metal polui.

 

Depois, as religiões, que se ocupam sobretudo da relação do crente com o sobrenatural, tratam de garantir que o comportamento nesta vida não comprometa a bem-aventurança na outra, segundo a Revelação em que cada uma se acolhe e o cânone fixado pela igreja competente. Daí que a luxúria não seja vista com muito bons olhos, por distrair da contemplação do eterno a benefício do imediato e contingente - a esfera mais íntima não fica fora, por definição, do comando religioso.

 

Mas a carne é fraca, todos os pecados serão perdoados, e as igrejas são feitas de homens (homens para designar o género humano, não me venham cá com perífrases de homens e mulheres). Donde, não faltam nem épocas nem situações em que a prostituição foi tolerada - não em nome da tolerância, mas do realismo.

 

Mas isso era dantes. Que o que as igrejas não conseguiram, os costumes permitiram, as autoridades toleraram, mulheres sem outros recursos agradeceram e pecadores aproveitaram - c'est fini.

 

Claro que a prostituição não corre o risco de desaparecer, ou sequer de diminuir seriamente - já bastou o tombo que levou com o risco da sida, a reverter logo que a cura se venda na farmácia da esquina. O que vai diminuir é a liberdade, por mais um comportamento ser interdito, e a segurança, por as polícias terem um novo crime para perseguir, com recursos que não crescerão. Ao mesmo tempo, a corrupção vai aumentar, porque a clandestinidade e o secretismo a facilitam; e, aberta mais esta porta, por ela se enfiarão, com o breviário da igualdade de género e causas fracturantes na mão, todos os promotores do novo homem politicamente correcto:

 

Não fuma, não bebe, não toma café em excesso, faz exercício e está aqui está a tornar-se vegan. E, claro, nunca foi às putas.

publicado por José Meireles Graça às 12:28
link do post | comentar

Pesquisar neste blog

 

Autores

Posts mais comentados

Últimos comentários

Tem razão, esse caso ilustra o ponto muito bem. O ...
Concordo que seja um bocado intangível, mas ocorre...
José, creio estar a reconher esse texto, salvo err...
"Essa perplexidade aumenta muito ao saber-se que a...
Despedimento coletivo do Casino Estoril de 2010, a...

Arquivos

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Links

Tags

25 de abril

5dias

adse

ambiente

antónio barreto

antónio costa

arquitectura

atentado

austeridade

banca

banco de portugal

banif

be

bes

bloco de esquerda

blogs

brexit

carlos costa

cartão de cidadão

catarina martins

causas

cavaco silva

censura

cgd

comentadores

cortes

crise

cultura

daniel oliveira

deficit

desemprego

desigualdade

dívida

educação

eleições autárquicas

ensino

esquerda

estado social

euro

europa

férias

fernando leal da costa

fernando ulrich

fiscalidade

francisco louçã

grécia

greve

impostos

irs

itália

jorge sampaio

jornalismo

josé sócrates

justiça

lisboa

malomil

manifestação

marcelo

marcelo rebelo de sousa

mariana mortágua

mário centeno

mário nogueira

mário soares

mba

nicolau santos

obama

oe 2017

orçamento

pacheco pereira

passos coelho

paulo portas

pcp

pedro passos coelho

política

portugal

ps

psd

público

quadratura do círculo

raquel varela

renzi

rtp

salário mínimo

sampaio da nóvoa

saúde

sns

socialismo

socialista

sócrates

syriza

tabaco

tap

tribunal constitucional

troika

ue

união europeia

urbanismo

vasco pulido valente

venezuela

vítor gaspar

todas as tags

Gremlin Literário no facebook

blogs SAPO

subscrever feeds

Sitemeter