Segunda-feira, 6 de Janeiro de 2014

Era "só" um futebolista

 

 

Considera-se um pensador, apesar de ter sido um estratega e um homem muito agradável sempre que a lisonja lhe servia os objectivos. Não está disposto a abdicar de um poder que já ninguém lhe reconhece, nem sequer dentro do partido. Rodeou-se de uma corte de intriguistas fracassados, porque os intriguistas com talento não precisam dele nem lhes sobra tempo para visitas de cortesia. Reune-se, pública e periodicamente, com um conjunto de aduladores que se penduram no seu passado político como se o prestígio fosse transmissível por contágio. O nome de Mário Soares atesta, julgam eles, uma virtude "humanista" no currículum de muitos cavalheiros. E assina artigos de opinião - numa prosa baixa, rude, desabrida e pesada, sem cor nem recursos linguísticos, com o garbo de um carroceiro e o estardalhaço de um sarilho na taberna.

 

Nunca suportou ser contrariado. Quando se candidatou à presidência do Parlamento Europeu (e perdeu para Nicole Fontaine), disse que os deputados tinham preferido votar numa "dona de casa". E há uns meses (não muitos), quando azulado de cólera apelou à violência contra o Governo e o Presidente da República, guardou uns insultos para os comentadores que não gostaram. Nunca admitiu que o fizessem para expressar uma discordância legítima, em resultado de uma inteligência própria e de uma diferente interpretação dos acontecimentos. Discordaram, escreveu Mário Soares, para "especular", "ao serviço do poder", e "para ganhar dinheiro".

 

Em 1986, quando se candidatou pela primeira vez à Presidência da República, Mário Soares chamou as "notabilidades" da época. Do mundo do futebol falou-se de muita gente, mas o mais "notável" (lembro-me bem, porque já me repugnava pelos projectos medonhos que desenhava) foi Tomás Taveira, que andava em namoro com a direcção do Benfica por motivos de um estádio, e encheu tempos de antena com aquele paleio aldrabão e cabelos soltos, pose marialva, frente ao ascoroso edifício das Amoreiras.

 

Eusébio não apareceu. Nem nessa altura nem noutra, porque Eusébio sempre fez - muito bem - o que lhe coube, e nunca falou de política. Competiu em partidas de futebol, porque era a sua profissão; e em protagonismo com o dr. Mário Soares, sem esforço e sem vontade, porque Soares não conseguiu associar-se ao seu nome nem conseguiu interpretar as coisas de outra maneira. O rancor foi ganhando volume naquela vaidade sem medida, e nenhuma oportunidade é melhor para aplicar um golpe no adversário do que apanhá-lo... morto.

 

Aconteceu hoje. O espectáculo repelente não desiludiu ninguém: foi baixo, como é marca do artista, vingativo como um filho mimado; vil como a sua prosa, confundindo (Soares sempre confundiu) coragem com desconsideração; ambíguo como julga que é próprio da alta política; cobarde como há muito não se via - mesmo em Portugal.

 

Soares disse que Eusébio era "modesto", "pouco instruído", "com pouca cultura", e "não se esperava dele que fosse um pensador". Fosse Eusébio comunista, ou lunático do PREC, e Soares (dominados os maus fígados) tê-lo-ia bajulado com encómios estremecidos, exigindo que o seu peito não descesse a enterrar sem uma dose apreciável de quinquilharia dourada - por serviços à Pátria. Mas Eusébio distinguiu-se no desporto, onde o mérito é possível de medir. Sabe-se (nenhum letrado contesta) que não está no mesmo plano das proezas intelectuais.

 

A Al Jazeera e a CNN dedicaram-lhe reportagens. O Governo decretou, pela morte de Eusébio, três dias de luto nacional. No facebook houve logo quem se mostrasse desagradado. Quem pensa que os "humanistas" se distribuem pelos partidos, pelas "plataformas", pela "academia" e pelos fiéis das "ciências" sociais - é porque nunca deu uma volta no facebook, onde o "humanismo" (solto das limitações e dos compromissos de quem tem responsabilidades políticas) mostra os contornos extravagantes que atingiu, em níveis estratosféricos de pureza e intensidade. Um "humanista", quando "sério", opõe-se ao "populismo" e não engole um herói do futebol. Herói que é para ser respeitado tem de vir do "pensamento", dos "valores", da "cultura", ou da "revolução". Naquela arrogância de beatos, na admiração analfabeta pela "academia", no orgulho da virtude que se atribuem para se sentir maiores, e nos feitos dos outros sempre encontrar insuficiências, gostam da "igualdade" teórica, conceptual. Amam a "igualdade" enquanto for abstrata, enquanto for "nobre", e por isso intangível, saco para todas as recusas. Detestam o fenómeno real, que os agarra pelos pés e os faz descer do paraíso seguro das "ideias", onde nada os compromete, à imundície banal das pessoas - esses animais que os esperam, matreiros, vulgares, e mal cheirosos, com toda a espécie de riscos. Um "humanista" casto não digere um herói popular, acima de tudo, porque um herói popular nunca precisou de um "humanista" - nem nunca deu conta que ele existisse.

 

O país vai unir-se numa homenagem a Eusébio - sentida, franca, e grata. Será comovente. Não é obrigatória.

 

publicado por Margarida Bentes Penedo às 15:27
link do post | comentar
177 comentários:
De António Dinis a 6 de Janeiro de 2014 às 19:26
Muito Bem! o Senhor Soares "pensa" que é o Portugal, ou o dono!
De odete antonio a 7 de Janeiro de 2014 às 14:07
Obrigada pelo bonito texto. Só tenho a dizer o seguinte : PERDOAI SENHOR, ele não sabe o que diz . . . ( lá diz o ditado voz de burro . . . não chega ao céu . . . ) Quem fez a entrevista ao Sr. Dr. Mário Soares foi muito infeliz, este senhor deve ser ignorado.
De Pedro Lobo a 8 de Janeiro de 2014 às 16:58
Jorge Félix e companhia cheios de azia...
De Alexandre Cruz a 9 de Janeiro de 2014 às 00:29
Sou PORTISTA COM 25 ANOS DE SÓCIO e tenho um recado para o mario soares e seus seguidores - VÃO TODOS LEVAR NO CU
De antero José Barbosa a 9 de Janeiro de 2014 às 10:57
Gostei imenso do que escreveu o autor. `Foi preciso coragem e o autor teve-o. Os meus sinceros parabéns. Não o conheço mas fico a respeitá-lo.

Há muito mais a escrever acerca de Mário Soares para além do muito que se escreveu.

Antero Barbosa
De Antonio Bernardino a 10 de Janeiro de 2014 às 08:49
Completamente de acordo com o texto, excepto:"Fosse Eusébio comunista, ou lunático do PREC, e Soares (dominados os maus fígados) tê-lo-ia bajulado com encómios estremecidos...."ele nunca foi muito amigo dos comunistas.
É um "cagão",mas coitado,não é mau rapaz.
De Gisela Pereira a 6 de Janeiro de 2014 às 19:29
Subscrevo.
Excelente análise, excelente!
De timeu a 8 de Janeiro de 2014 às 00:16
Mas qual é a intenção destes cavalheiros que querem denegrir o Dr. Mário Soares?
Por acaso ele tem dito ultimamente inverdades? NÃO

Somos o país "dos coitadinhos" diz-se que o defunto era um santo, sendo em vida tratado como indigente.
Carlos
8.01.14
De João Campos a 8 de Janeiro de 2014 às 14:03
Este cara de Peixe ñ precisa q ninguém o denigra. Ele faz um excelente trabalho sozinho, de cada vez q abre a boca
De armindo leite a 8 de Janeiro de 2014 às 15:10
há muitos Mário Soares neste cantinho a beira mar plantado com sementes da inveja!
De João Abelar a 8 de Janeiro de 2014 às 15:36
Denegrir?
Otário. Ele não precisa, fá-lo sozinho.
De JJVElhinho a 8 de Janeiro de 2014 às 22:21
Coitadinho do sr.. Enquanto o inculto beijava a bandeira Nacional, o fiel pensador espezinhava-a. Estão esquecidos???
De timeu a 11 de Janeiro de 2014 às 13:20
Eis uma mentira tantas vezes dita...passa a falsa verdade.
O Dr. Mário Soares, fez, continuará a fazer asneiras...mas nunca deixou de ser humanista e honrou a pátria.
Cacá
De Mendel a 6 de Janeiro de 2014 às 19:54
Caros amigos
Em estilo de mensagem já tínhamos dado a nossa opinião,mas não podemos de deixar de subscrever todo o texto que acabamos de ler..Os nossos agradecimentos à autora pela sua clarividência .
ESTAMOS NA ÉPOCA DOS INTELECTUAIS FEITOS A MARTELO E QUE NADA FIZERAM NA VIDA.É TRISTE!
Mendel e AIA MUNDIAL(Artists International Association).
De Emília Barata a 8 de Janeiro de 2014 às 03:35
Dá para perceber que quando se trata de futebol, está-se proibido de dizer o que se pensa. O Dr. Mário Soares, concorde-se ou não com ele, esteve preso por dizer o que pensava, num período em que isso era perigoso. Para além do futebol, nunca soube de qualquer actividade de relevância social exercida pelo Eusébio. De uma maneira geral os grandes nomes do futebol raramente usam a sua influência em causas de cariz social como acontece com ídolos da música, cinema...











s
De zebedeu a 8 de Janeiro de 2014 às 12:39
enquanto que um chorou agarrado às quinas, o outro pisou a bandeira nacional. atitude de um "grande ser pensante" (não faz dele um pensador, contudo).

o mário soares, quando está calado, é um poeta ainda maior que camões!
De armindo leite a 8 de Janeiro de 2014 às 15:17
Mário Soares esteve sempre exilado em luxos e protegido pela maçonaria!
De julio a 8 de Janeiro de 2014 às 22:07
Foi preso numa cela de luxo enquanto muitos outros foram torturados e mortos e obrigados a fugir. Este palhaço rancoroso, de verdades não diz nada, nunca disse e, ao contrário de Eusébio, fez um trabalho horrível enquanto profissional.
De Anónimo a 9 de Janeiro de 2014 às 12:20
Esteve preso? Onde? Em Paris?
De Florinda a 6 de Janeiro de 2014 às 21:19
Esta Sra. pseudo intelectual devia aprender a ler e ouvir antes de vomitar veneno. Cuidado não morda a língua, pode morrer envenenada.
De PT a 6 de Janeiro de 2014 às 23:26
Ó Florinda, qual é o seu apelido? Barroso ou Soares?
De Teresa a 7 de Janeiro de 2014 às 00:05
Boa pergunta! ;)
De António a 7 de Janeiro de 2014 às 21:16
Boa...
De a 7 de Janeiro de 2014 às 12:11
Eu concordo com a Florinda, realmente a autora do texto é uma venenosa.. então e escrever sobre as pensões que este sr recebe? Ai Ai sra. Autora..

Oh Florinda em jeito de bom português e se fosse para o Cara*******
De Paulo Souto a 7 de Janeiro de 2014 às 18:06
Também faz parte do Clã Dona Florinda?
Ou também faz parte do grupo de "aduladores que se penduram no seu passado político como se o prestígio fosse transmissível por contágio"?
E já agora, de que forma está a mamar neste momento?
Secretária de um qualquer Instituto criado para os Boys?
Ou algum dos seus familiares é que está a mamar e a Senhora, por tabela, também mama?
Quanto ao veneno, quem o tem mandado durante estes anos todos, é o seu "grande amigo", mais conhecido por Marocas.
Finalmente, e não sendo eu nenhum intelectual, e, muito menos nenhum pseudo intelectual, deixe-me dizer-lhe o seguinte:
Os intelectuais não se dizem, SÃO-NO POR NATUREZA, compreendeu?
Tenha mas é vergonha ok?
De tativincent a 10 de Janeiro de 2014 às 11:38
Para:
" Emília Barata" e "Florinda...Soares"!!
Quando falar deste "democrata", também conhecido, de quando foi (Péssimo" 1º. Ministro, como o "Pedinte Rico", por correr o mundo, de avião, a pedir "fundo" para suportar a "rebaldaria democrática", INFORME-SE! Por exemplo: Diga onde ele esteve "preso"! BNãso sabe? Eis a informação:
Esteve "desterrado"...no bimbom da Madeira!;
Esteve "exilado" no País do seu amigo Mitérand", numa vida, coitado...de FAUSTO e intriga política!
De Anónimo a 6 de Janeiro de 2014 às 21:30
Excelente
De Anónimo a 6 de Janeiro de 2014 às 22:33
Adorei, melhor eu não seria capaz de dizer. Faço destas minhas palavras.
Parabéns aos corajosos. Já era tempo de alguém colocar esse "senhor" no seu devido lugar!... Ainda não comeu o suficiente?... E o que quer mais?!... Era bom que prestasse contas ao povo. Teria muito a distribuir por todos nós, Ele e a sua querida família...
De AR a 7 de Janeiro de 2014 às 12:55
...prestassem contas a este e a outros povos, se me entendem, estou certo que sim!
De sophia a 6 de Janeiro de 2014 às 21:42
Lucisez e clareza, excelente escrita e bem fundamentada argumentação, lógico que os schintelectuais cegos não vão perceber pois além de cegos a intelectualidade também lhes rouba audição
De Manuel Rebordão a 6 de Janeiro de 2014 às 21:48
Parabéns ao autor do texto.
Estériotipo perfeito da besta, politica, mais manhosa que surgiu em Portugal depois o 25 de abril.
De Jorge Felix a 7 de Janeiro de 2014 às 22:04
Eu não daria assim tantos parabéns. Utilizar a palavra "ascoroso" é mais típico de um labrego do que dum autor dum Blog pretensamente Literário!
De Manuel a 8 de Janeiro de 2014 às 02:09
Coitadinho...

De Paula Araújo a 6 de Janeiro de 2014 às 22:28
Esse canalha, vil aldrabão ao povo desta nação, ladrão legitimado pelas professias de um 25 de Abril que lhe serviu financeiramente os intentos e as vaidades, morrerá, certamente, sufocado pelo seu próprio veneno! Sr. Mario Soares \" humanista\" de escritório, de presunção e água benta cada um toma a que quer!
De joshua a 6 de Janeiro de 2014 às 22:54
Aplaudo de pé este post, Margarida.
De A Santos a 6 de Janeiro de 2014 às 23:14
Os meus cumprimentos pela clareza com que interpreta o sentir de muitos.
Apenas uma correcção: Soares não está hoje mais grosseiro, arrogante, vingativo ou cobarde (para não entrarmos pelo traidor, jacobino, usurpador de vantagens privadas sobre o herário público) do que estava há uns anos atrás.
Desaprendeu foi a arte da dissimulação...
De Florbela Alves a 7 de Janeiro de 2014 às 23:21
E isso mesmo, caiu-lhe a máscara... é o maior gatuno de Portugal...

PARABÉNS à pessoa que escreveu de forma brilhante aquilo que penso do maior gatuno de Portugal, Mário Soares, que nas ex-colónias Portuguesas, pisou e cuspiu na Bandeira Portuguesa, com a idade que tem, devia era ficar em casa deitadinho, e sobretudo, caladinho...

Comentar post

Pesquisar neste blog

 

Autores

Posts mais comentados

Últimos comentários

Curiosamente, estes inquisidores modernos, quando ...
2a Parte What a wonderful world it is that has gir...
1a ParteAs frases abaixo foram escritas “na pele” ...
Na parte do financiamento sim, e essa definição po...
capitalista estatal isso sim.

Arquivos

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Links

Tags

25 de abril

5dias

adse

ambiente

antónio costa

arquitectura

austeridade

banca

banco de portugal

banif

be

bes

bloco de esquerda

blogs

brexit

carlos costa

cartão de cidadão

causas

cavaco silva

censura

cgd

comentadores

cortes

crescimento

crise

cultura

daniel oliveira

deficit

desemprego

desigualdade

dívida

educação

eleições autárquicas

ensino

esquerda

estado social

euro

europa

férias

fernando leal da costa

fernando ulrich

fiscalidade

francisco louçã

grécia

greve

impostos

irs

itália

jorge sampaio

jornalismo

josé sócrates

justiça

lisboa

malomil

manifestação

marcelo

marcelo rebelo de sousa

mariana mortágua

mário centeno

mário nogueira

mário soares

mba

nicolau santos

obama

oe 2017

orçamento

pacheco pereira

partido socialista

passos coelho

paulo portas

pcp

pedro passos coelho

política

portugal

ps

psd

público

quadratura do círculo

raquel varela

renzi

rtp

salário mínimo

sampaio da nóvoa

saúde

sns

socialismo

socialista

sócrates

syriza

tabaco

tap

tribunal constitucional

troika

ue

união europeia

universidade de verão

urbanismo

vasco pulido valente

venezuela

vítor gaspar

todas as tags

Gremlin Literário no facebook

blogs SAPO

subscrever feeds

Sitemeter