Domingo, 6 de Maio de 2012

A educação da deseducação

Recebi por e-mail, de um autor identificado que é Professor no IST, o seguinte texto:


O que o estudante típico usualmente não percebe é o aforismo "não há nada mais prático do que a teoria". Sobretudo o estudante que toma contacto com as matemáticas. Perdido no meio do raciocínio matemático, reage usualmente mal. Por isso faz com frequência a pergunta sacramental ao mestre - "Para que é que isto serve?".


Quer o estudante dizer que não entende tanta 'complicação' quando afinal o que interessa são 'coisas práticas'. O mestre pouco avisado responde evasivamente que as complicações são o que são porque a matemática é o que é. Resposta mal dada. A resposta correcta é:

Não há nada mais prático do que a teoria. 

Sobretudo a teoria matemática, a qual subjaz a todas as ciências aplicadas, precisamente porque a matemática e a sua companheira, a Física, são os melhores explicadores do mundo material.

Porquê a desconfortável 'complicação' matemática? Porque é na demonstração matemática, onde se evidenciam as complicações, que ao engenho e raciocínios do homem é exigido o esforço maior. É na inutilidade aparente de uma demonstração matemática que se procura enquadrar um problema com toda a sua generalidade. E quanto maior for a generalidade, geralmente maior é a complexidade do engenho e dos raciocínios a empregar. 

Ora uma receita geral, por definição, enquadra qualquer receita particular. E são receitas particulares aquelas com que o estudante das ciências aplicadas terá de se confrontar ao longo da sua vida profissional.

Por conseguinte,  quanto mais tempo o estudante tiver gasto na sua juventude à volta das 'inutilidades matemáticas', mais facilmente resolverá problemas práticos na sua futura profissão. Por aqui se poderá pois concluir que na aprendizagem das criancinhas a matemática deve estar em lugar cimeiro.

A matemática não tem que ser necessariamente cool, tal como acontece na vida do homem comum obrigado a lidar mais com sofrimentos e menos com prazeres.


Fim de transcrição.


A mim me parece que o raciocínio matemático é um entre outros; e que o fruto dos raciocínios, para ser comunicado, precisa muitas vezes de linguagem não-matemática, donde a importância das línguas.


Poria portanto as línguas (a Pátria e a veicular dos nossos dias) a par da Matemática. E como raciocinar bem e comunicar bem não chega - é preciso ainda ter alguma coisa para dizer - a isto acrescentaria umas boas bases de História, sem a qual não entendemos o presente, a Geografia, sem a qual não entendemos a História, a Física, a Química e as Ciências da Natureza, sem as quais não entendemos o Mundo físico, e a Filosofia, para percebermos porque razão não percebemos nada.

 

Nuno Crato é matemático e estudioso das ciências da educação, seja lá isso o que for, pelo que é legítimo esperar que tenha sobre matérias curriculares ideias, hum ... matemáticas.

 

Pode bem ser que da sua passagem pelo Ministério fique, no meio das salgalhadas corporativas, da pedagogia modernaça, do facilitismo igualitário e dos interesses ocultos da máquina alucinada que comanda - algum bem.

 

publicado por José Meireles Graça às 19:08
link do post | comentar

Pesquisar neste blog

 

Autores

Posts mais comentados

177 comentários
16 comentários
10 comentários

Últimos comentários

O lacinhos do espesso, não acerta uma, enfim, mais...
Para o BE e o PCP, o PEV é apenas um franchise do ...
Mas isto está a piorar, agoras eles dizem que o Pe...
Kudos!
Bem visto, os três estarolas!!

Arquivos

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Links

Tags

25 de abril

5dias

adse

ambiente

antónio costa

arquitectura

austeridade

banca

banco de portugal

banif

be

bes

bloco de esquerda

blogs

brexit

carlos costa

cartão de cidadão

catarina martins

causas

cavaco silva

cgd

comentadores

comunismo

cortes

costa

crescimento

crise

crise política

cultura

daniel hannan

daniel oliveira

deficit

descubra as diferenças

desemprego

desigualdade

dívida

educação

eleições autárquicas

eleições europeias

empreendedorismo

ensino

esquerda

estado social

euro

europa

férias

fernando leal da costa

fernando ulrich

fiscalidade

fmi

francisco louçã

grécia

greve

impostos

irs

itália

jorge sampaio

jornalismo

justiça

lisboa

malomil

manifestação

marcelo

marcelo rebelo de sousa

mariana mortágua

mário nogueira

mário soares

mba

nicolau santos

obama

oe 2017

orçamento

pacheco pereira

passos coelho

paulo portas

pedro passos coelho

política

portugal

ps

quadratura do círculo

raquel varela

renzi

rtp

salário mínimo

sampaio da nóvoa

saúde

sns

socialismo

socialista

sócrates

syriza

tabaco

tap

tribunal constitucional

ue

união europeia

urbanismo

vasco pulido valente

venezuela

vítor gaspar

todas as tags

Gremlin Literário no facebook

blogs SAPO

subscrever feeds

Sitemeter