Sábado, 14 de Abril de 2012

O labirinto

Esta história parece-me plausível na sua triste banalidade - é igual ou parecida com milhentas outras, com menos nervos, com mais choro, com calma, com griteiro, com resignação, quase nunca com desistência, que essa pesa mais que a humilhação e a necessidade.


Sucede todos os dias, em maior ou menor grau, seja na Segurança Social, na Câmara Municipal, numa Conservatória do Registo Predial ou até num posto dos Correios.


E sempre sucedeu - agora é pior, com a multiplicação de normas e procedimentos para despistar oportunistas e trapaceiros e porque é da natureza das burocracias entregues a si próprias multiplicar normas e procedimentos.


Soluções? Já foi também assim nos notariados, e agora não é - mas não se pode privatizar tudo, ainda que pudéssemos imaginar tribunais privados que decerto não realizavam a Justiça mas funcionavam.


Reformas? O primeiro governo Sócrates fez algumas coisas boas, mas por qualquer razão o élan reformista perdeu-se enquanto a diarreia regulamentar prosseguiu. Ficaram as repartições modernaças, cheias de televisores que um destes dias vão avariar e pessoas à espera de vez, como há cinquenta anos, e um ou outro pesadelo que desapareceu e viu o lugar preenchido por pesadelos mais recentes.


Seria, aliás, curioso saber quanto tempo cada Português perde, em média, na sua relação com o Estado, incluindo aquele desperdiçado a tentar navegar nos sites da Administração feitos com os pés, e compará-lo com o que perdia há dez, vinte, cinquenta anos: o meu palpite é que cada vez se gasta mais, na vida de cada qual como na vida das empresas.


Se fosse possível incutir no legislador a ideia de que os cidadãos não têm que provar que são sérios, é a Administração que tem que provar que não são; que não têm que requerer nada, apenas declarar que querem exercer um direito, se o tiverem; que do que um sector da Administração sabe legitimamente sobre um cidadão não pode ser exigida prova por outro sector; e que quem está ao serviço do público não pode ser menos empenhado, nem atento, do que quem está ao serviço do privado, sob pena de sanções graves: seria um começo.


Não vai suceder, é claro, que a complicação é muito complicada. Mas poder-se-ia, ao menos, contratar umas quantas empresas de organização e métodos e começar por uma ponta - sei lá, os tribunais, onde todos os dias vão milhares de Portugueses perder tempo, sob ameaça de multa, porque sim, e na Segurança Social, porque precisam.

publicado por José Meireles Graça às 01:06
link do post | comentar
1 comentário:
De Anónimo a 14 de Abril de 2012 às 12:58
A burocracia começa na lei. Era preciso limpar a legislação e regulamentação dos milhares de exigências sem sentido que lá estão e que os serviços administrativos depois se dedicam escrupulosamente a cumprir. Mas depois tínhamos um problema: se não houvesse "check lists", "formulários", "modelos", etc, os funcionários tinham que pensar. E normalmente não gostam.

Comentar post

Pesquisar neste blog

 

Autores

Posts mais comentados

Últimos comentários

Já chega!ZONAS DE SEGURANÇA:-» dinheiro mal gasto....
Caríssimos, compreendo a V. perplexidade e indigna...
não há p+pachorra para ler um post com tanto palav...
Creio que não tem noção da complexidade da investi...
Ao contrário do que pensava o prof. Cavaco, num di...

Arquivos

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Links

Tags

25 de abril

5dias

adse

ambiente

antónio costa

arquitectura

austeridade

banca

banco de portugal

banif

be

bes

bloco de esquerda

blogs

brexit

carlos costa

cartão de cidadão

causas

cavaco silva

censura

cgd

comentadores

cortes

crescimento

crise

cultura

daniel oliveira

deficit

desemprego

desigualdade

dívida

educação

eleições autárquicas

ensino

esquerda

estado social

euro

europa

férias

fernando leal da costa

fernando ulrich

fiscalidade

francisco louçã

grécia

greve

impostos

irs

itália

jorge sampaio

jornalismo

josé sócrates

justiça

lisboa

malomil

manifestação

marcelo

marcelo rebelo de sousa

mariana mortágua

mário centeno

mário nogueira

mário soares

mba

nicolau santos

obama

oe 2017

orçamento

pacheco pereira

partido socialista

passos coelho

paulo portas

pcp

pedro passos coelho

política

portugal

ps

psd

público

quadratura do círculo

raquel varela

renzi

rtp

salário mínimo

sampaio da nóvoa

saúde

sns

socialismo

socialista

sócrates

syriza

tabaco

tap

tribunal constitucional

troika

ue

união europeia

universidade de verão

urbanismo

vasco pulido valente

venezuela

vítor gaspar

todas as tags

Gremlin Literário no facebook

blogs SAPO

subscrever feeds

Sitemeter