Terça-feira, 17 de Abril de 2012

O militante da incompreensão recorrente

O Governador do Banco de Portugal diz, com inusitada frequência, coisas. E valem a pena porque são, quase sempre, extraordinárias.


Vejamos a eructação mais recente: Há "evidência" de dificuldades de acesso de crédito por parte das empresas, mas acrescenta que neste momento a instituição ainda está a tentar perceber "o que se passa".


Também gostava de saber o que se passa na cabeça do Dr. Costa, porque o que se passa nas empresas não é difícil de perceber. Se eu constatasse a "evidência" de um problema tão grave como a falta de financiamento às empresas e tivesse a obrigação de o resolver, convocava os senhores dirigentes dos bancos e perguntava-lhes porque não emprestam; depois confirmava as informações e esclarecia-me das dúvidas; finalmente, tomava medidas, se tivesse competência para as tomar, ou propunha-as a quem de direito. O que não vinha era para a praça pública confessar ignorância e revelar impotência.


Mas, magnânimo, dou umas dicas: imagine, Dr. Costa, que o Estado não paga o que deve, por exemplo no âmbito do IVA; e que uma empresa deixa, por causa disso, de pagar a um banco, dado que a alternativa é não pagar a um fornecedor que não dá crédito por causa do "risco País". E que o que o banco lhe debita pela mora, mediante o expediente de a considerar descoberto na conta DO, é, com autorização sua, Dr. Costa, 25 ou 27%. Não sei se está a ver o quadro - depois ainda é preciso produzir, e exportar, e dar crédito ao cliente - só estou a levantar uma pontinha do véu, que eu ganho mal pelo meu trabalho bem feito, enquanto o Amigo ganha bem pelo que faz mal ou nem faz de todo.


Mas a inutilidade palavrosa e a ignorância contumaz a gente atura - nenhum pequeno empresário exportador espera realmente que um membro da elite dirigente da coisa pública, ou da Academia, a começar pelo Presidente da República, passando pelo Ministro das Finanças, dezassete catedráticos de Economia e acabando no adjunto do adjunto da Secretaria de Estado da Reforma da Contabilidade Fortemente Informática, saiba realmente do que está a falar quando fala de pequenas empresas.


Mas já é mais difícil aturar frases como esta: "O problema é que há empresas financeiramente inviáveis que perturbam a análise dos agregados monetários e análise de crédito".


Ou seja, traduzindo: as empresas financeiramente viáveis são as que não necessitam de crédito à tesouraria; uma vez eliminadas passa a haver grande abundância de crédito, e Costa fica assim dispensado de esmiuçar a embrulhada. 


Costa, desculpa só ter para ti frases banais: Porqué no te callas?

publicado por José Meireles Graça às 15:59
link do post | comentar
1 comentário:
De Quim onas a 19 de Abril de 2012 às 02:04
Ó Meireles é caso para dizer Ó Costa a vida Costa.

Comentar post

Pesquisar neste blog

 

Autores

Posts mais comentados

Últimos comentários

Simples e sentido: a minha felicitacao e agradecim...
«Onze dos 24 infetados são funcionários de saúde»V...
Direi mesmo mais, senhor Pinto, é tanta a ignorânc...
Lamento a morte da rapariga, obviamente, mas se os...
É tanta a ignorância revelada pelo autor do texto,...

Arquivos

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Links

Tags

25 de abril

5dias

adse

ambiente

antónio costa

arquitectura

austeridade

banca

banco de portugal

banif

be

bes

bloco de esquerda

blogs

brexit

carlos costa

cartão de cidadão

catarina martins

causas

cavaco silva

censura

cgd

comentadores

comunismo

cortes

costa

crescimento

crise

crise política

cultura

daniel hannan

daniel oliveira

deficit

descubra as diferenças

desemprego

desigualdade

dívida

educação

eleições autárquicas

ensino

esquerda

estado social

euro

europa

férias

fernando leal da costa

fiscalidade

francisco louçã

grécia

greve

impostos

irs

itália

jorge sampaio

jornalismo

justiça

lisboa

malomil

manifestação

marcelo

marcelo rebelo de sousa

mariana mortágua

mário centeno

mário nogueira

mário soares

mba

nicolau santos

obama

oe 2017

orçamento

pacheco pereira

passos coelho

paulo portas

pedro passos coelho

política

portugal

ps

público

quadratura do círculo

raquel varela

renzi

rtp

salário mínimo

sampaio da nóvoa

saúde

sns

socialismo

socialista

sócrates

syriza

tabaco

tap

tribunal constitucional

troika

ue

união europeia

urbanismo

vasco pulido valente

venezuela

vítor gaspar

todas as tags

Gremlin Literário no facebook

blogs SAPO

subscrever feeds

Sitemeter