Quarta-feira, 4 de Maio de 2016

A "direita liberal radical" alvo de dois defensores do sistema

Esta semana foram publicados dois artigos muito engraçados. O primeiro de Pacheco Pereira que foi aqui mencionado e o segundo de Luís Aguiar Conraria (fazendo uma enorme confusão entre liberais, direitistas e conservadores católicos) publicado hoje no Observador. Artigos engraçados, porque - que diacho!, a direita liberal (eles "brincam" como se aquilo a que chamam direita liberal fosse do PSD e CDS e não apenas assumisse o mal menor na gestão do Estado) não está no poder nem é previsível que o venha a ocupar nos próximos anos mas mesmo assim os dois esquerdista militantes elegem-na como assunto dos tais artigos. Não acham estranho? A que se deve tão honrosa atenção?

Penso poder dar uma explicação. Quer Pacheco, quer Conraria, que são homens inteligentes da nossa esquerda lusitana vêem com antecedência de onde vem o risco para o seu quadrante político. Sim, porque ele vem daquilo a que ambos chamam direita liberal mas não está actualmente representado em qualquer partido do sistema, excepto em algumas pessoas liberais que fazem entrismo com muitas dificuldades. Perceberam-no muito bem. Porquê?

Porque os mesmos que, discretamente, andam há anos a alertar para os perigos, risco e erros do actual caminho, estão tranquilamente a verificar como a esquerda irá esbarrar inexoravelmente na realidade e à espera do momento para poder aparecer (Pacheco e Conraria intuíram-no bem). E, a realidade é que não há um, um único, país esquerdista europeu ou do resto do mundo que seja rico como a esquerda gostaria. O expoente europeu é a Grécia. A França luta com enormes dificuldades, a Espanha não faz geringonças, a Itália está nas mãos de um liberal centrista e a recuperar sofrivelmente de anos de esquerdismo militante (Berlusconi é um estatista e corporativista, Monti que evitou o colapso, um liberal europeísta). O que isto significa para Portugal? Que o tempo de alimentar os delírios estatistas da tal esquerda militante também aqui irá acabar, ou então o povo deixa-nos ir pelo caminho da Grécia com o objectivo Venezuela, mas devemos ter mais fé que isso nos portugueses, não acham?

Os exemplos de países bem sucedidos, onde a pobreza foi e está continuamente a ser reduzida são geridos por princípios liberais (Alemanha ordoliberalismo, Irlanda centro-direita, Reino Unido centro-direita e etc.) ou quando na alternância os partidos mais à esquerda ocupam o poder têm políticas que para o nosso burgo seriam da tal direita radical que Pacheco aponta.

Logo, caros Pacheco e Conraria, não tomem as nossas dores por vossas, que estamos bem e nos recomendamos, esperando tranquilamente a chegada do momento em que ficará óbvio, cristalino e límpido para todos os eleitores portugueses que o caminho da esquerda, sempre com a boca cheia dos pobres enquanto mantém as rendas de uma clique privilegiada, apenas leva a mais dívida e resgates, mais pobreza para todos e ausência de desenvolvimento sustentado.

Calma e tranquilamente. 

publicado por João Pereira da Silva às 17:44
link do post | comentar

Pesquisar neste blog

 

Autores

Posts mais comentados

177 comentários
16 comentários
10 comentários

Últimos comentários

O poeta? Acho que só na Venezuela e no Belize é qu...
Tem razão obviamente, mas há outros destinatários ...
Mas já era assim há dez, há vinte, há trinta...
Tem razão, mas o homem tem 94 anos ...
As sondagens não contam as opiniões da maioria dos...

Arquivos

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Links

Tags

25 de abril

5dias

adse

ambiente

antónio costa

arquitectura

austeridade

banca

banco de portugal

banif

be

bes

bloco de esquerda

blogs

brexit

carlos costa

cartão de cidadão

causas

cavaco silva

cgd

comentadores

comunismo

cortes

costa

crescimento

crise

crise política

cultura

daniel hannan

daniel oliveira

deficit

descubra as diferenças

desemprego

desigualdade

dívida

educação

eleições autárquicas

eleições europeias

empreendedorismo

ensino

estado social

euro

europa

férias

fernando leal da costa

fernando ulrich

fiscalidade

fmi

francisco louçã

geringonça

gnr

governo

grécia

greve

impostos

irs

itália

jorge sampaio

jornalismo

jugular

justiça

lisboa

malomil

manifestação

marcelo

marcelo rebelo de sousa

mariana mortágua

mário nogueira

mário soares

mba

miguel relvas

obama

oe 2017

orçamento

pacheco pereira

passos coelho

paulo portas

pedro passos coelho

política

portugal

ps

quadratura do círculo

raquel varela

renzi

rtp

sampaio da nóvoa

saúde

sns

socialista

sócrates

syriza

tabaco

tap

tribunal constitucional

ue

união europeia

urbanismo

vasco pulido valente

venezuela

vítor gaspar

todas as tags

Gremlin Literário no facebook

blogs SAPO

subscrever feeds

Sitemeter