Terça-feira, 1 de Abril de 2014

Costumes modernos

Na terra dos excessos as drogas ocupam hoje e há muito tempo o lugar que já foi preenchido pelo álcool: nunca houve, nem há, escassez de pessoas com ideias claras sobre a forma como os outros devem conduzir as suas vidas, convictas de que fazem um grande favor aos próprios e à comunidade se lhes reprimirem os vícios com multas, censuras e prisão. Como o vício é tão antigo como a humanidade, estas guerras são sempre perdidas e, quando muito, apenas conseguem que se troquem uns vícios por outros.

 

A justificação da guerra ao vício fazia-se antes em nome de princípios religiosos, éticos, ou de lesões aos interesses da comunidade.

 

Mas hoje aceita-se mal que se imponham ditames religiosos manu militari, nem aliás dizem todas as religiões, e todas da mesma maneira, que comportamentos são ou não objecto de censura.

 

E ainda que, de um ponto de vista ético, a ideia que os outros sabem o que nos convém, e não apenas sabem mas também têm legitimidade para nos impôr, na condução da nossa vida privada, os seus pontos de vista, recolha não poucos adeptos, sempre existe a abençoada dificuldade de não pensarem todos os proibicionistas a mesma coisa.

 

Resta a defesa de terceiros, à qual ninguém se opõe. E é por isso que as proibições demenciais do fumo, que têm na base a velha pulsão anti-vício, remetem para a saúde pública e os estudos soi-disant científicos sobre o fumo passivo.

 

No tempo, como foi o da Lei Seca, em que havia, para o bem e o mal, alguma estanquicidade entre países, as modas policiais variavam muito - cada país tinha as suas. Agora, há o rolo compressor da americanice e, juntamente com a coca-cola, a toilette rap e o politicamente correcto, vêm as manias aldeãs e puritanas da ingerência na vida do próximo, desta feita para proteger as criancinhas indefesas. Quem é que não quer salvar os desvalidos pequenos seres dos desmandos de progenitores mal formados e, inclusive, pobres, quando há tanto casal perfeitamente correcto, anelante por realizar o direito à paternidade sem as maçadas da concepção, ou desejoso de ultrapassar as fatalidades da Natureza, que permite que se reproduzam como coelhos alguns sub-humanos, um escândalo, ao mesmo tempo que nega tal direito a gente sã e até gays bem de vida?

 

A coisa já chegou à filial Inglaterra, completa com o secretismo da Inquisição: aos pais que um funcionário anónimo considera indesejáveis podem ser retirados os filhos, mas para guardarem a liberdade têm que fechar a matraca pobreta e ignorante.

 

O progresso é porém imparável, e prevenir sempre foi melhor do que remediar. Daí que uma anódina empregada de mesa metediça possa, mediante uma simples denúncia, originar a prisão imediata de uma mãe apreciadora de Budweiser, enquanto a criança é entregue, para já, a familiares, presume-se que abstémios, encarregados de lhe dar o biberão, que o leite de mama laced com lúpulo lhe pode fazer mal.

 

Não, não é certo que as nossas costas sejam assaltadas pelas vagas alterosas do mar, aumentado por efeito do aquecimento global. Mas por inundações de estupidez virtuosa - sim.

Tags:
publicado por José Meireles Graça às 16:14
link do post | comentar

Pesquisar neste blog

 

Autores

Posts mais comentados

177 comentários
16 comentários
10 comentários

Últimos comentários

O lacinhos do espesso, não acerta uma, enfim, mais...
Para o BE e o PCP, o PEV é apenas um franchise do ...
Mas isto está a piorar, agoras eles dizem que o Pe...
Kudos!
Bem visto, os três estarolas!!

Arquivos

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Links

Tags

25 de abril

5dias

adse

ambiente

antónio costa

arquitectura

austeridade

banca

banco de portugal

banif

be

bes

bloco de esquerda

blogs

brexit

carlos costa

cartão de cidadão

catarina martins

causas

cavaco silva

cgd

comentadores

comunismo

cortes

costa

crescimento

crise

crise política

cultura

daniel hannan

daniel oliveira

deficit

descubra as diferenças

desemprego

desigualdade

dívida

educação

eleições autárquicas

eleições europeias

empreendedorismo

ensino

esquerda

estado social

euro

europa

férias

fernando leal da costa

fernando ulrich

fiscalidade

fmi

francisco louçã

grécia

greve

impostos

irs

itália

jorge sampaio

jornalismo

justiça

lisboa

malomil

manifestação

marcelo

marcelo rebelo de sousa

mariana mortágua

mário nogueira

mário soares

mba

nicolau santos

obama

oe 2017

orçamento

pacheco pereira

passos coelho

paulo portas

pedro passos coelho

política

portugal

ps

quadratura do círculo

raquel varela

renzi

rtp

salário mínimo

sampaio da nóvoa

saúde

sns

socialismo

socialista

sócrates

syriza

tabaco

tap

tribunal constitucional

ue

união europeia

urbanismo

vasco pulido valente

venezuela

vítor gaspar

todas as tags

Gremlin Literário no facebook

blogs SAPO

subscrever feeds

Sitemeter