Quinta-feira, 15 de Dezembro de 2016

Devagar se vai ao longe, porque a meta é mais adiante

BqFVsBRCYAAgeno.jpg

Esta fotografia é histórica, mesmo que não pareça. Foi tirada na partida para as 24 Horas de le Mans de 1969, uma corrida de automóveis, e repito corrida, em que o objectivo dos pilotos é correrem o mais que podem para chegarem antes dos outros. Pouco mais de um minuto depois de ela ser tirada, já havia carros a correr a mais de 300 quilómetros por hora na recta das Hunaudières.

À partida desta corrida, o espectacular método de partida que passou para a história como partida tipo le Mans, os carros estavam alinhados em diagonal para arrancarem num dos lados da pista, e os pilotos do outro, e quando era dado o sinal de partida os pilotos encaminhavam-se para os carros, instalavam-se neles e arrancavam, tudo o mais depressa que conseguiam. E, como seria de esperar, atravessavam a pista a correr e instalavam-se o mais rapidamente que podiam para arrancarem mais cedo. Mas o jovem de 24 anos marcado na fotografia, de seu nome Jacky Ickx, a correr as suas primeiras 24 horas de le Mans, atravessou a pista a caminhar em vez de correr como os outros. Quando chegou ao carro demorou o tempo que foi preciso para se instalar bem e com o cinto de segurança solidamente apertado, e foi o último a arrancar.

Porquê?

Para protestar individualmente contra este método de partida, que decincentivava os pilotos de se instalarem com toda a segurança no carro e de apertarem cuidadosamente o cinto de segurança antes de arrancarem, só o fazendo mais tarde quando conseguissem desocupar as mãos da condução. Aliás, nesta mesma primeira volta morreu o piloto John Woolfe por, por não ter o cinto apertado, ter sido projectado do seu carro que se despistou. Mais tarde, quando lhe pediram explicações da sua partida bizarra, o Jacky Ickx explicou que as 24 horas de le Mans eram uma corrida de automóveis, e não de pilotos, e que numa corrida tão longa não tinha nenhum sentido correr riscos para ganhar uns segundos ou fracções de segundo na partida.

Quem acabou por ganhar a corrida no dia seguinte?

O Jacky Ickx. Não ganhava as 24 horas de le Mans quem chegasse primeiro ao carro, mas quem andasse uma distância maior em 24 horas, e as 24 horas de corrida foram suficientes para recuperar o atraso na partida. Foi a chegada mais cerrada da história das 24 horas de Le Mans até aí, e ganhou com apenas cerca de um segundo de avanço. Se, além de caminhar e de se instalar cuidadosamente no carro com toda a segurança, tivesse perdido mais tempo para se pentear ao espelho, até podia ter perdido. Mas ganhou.

E teve uma vitória dupla. O protesto dele e a morte do John Woolfe na primeira volta foram suficientes para abolir para sempre a espectacular mas perigosa partida tipo le Mans.

E o que é que nós temos a ver com isso?

Anda meio mundo aflito, e outro eufórico, por determinado partido ainda não ter apresentado o seu candidato a determinada Câmara Municipal para as eleições que terão lugar daqui a nove ou dez meses. A euforia dos eufóricos, aliás, deve-se mais à aflição dos aflitos do que a motivos ponderosos para ver no facto um prenúncio de vitória dos partidos deles, um dos quais foi o primeiro a apresentar o seu candidato, sobre o que ainda não apresentou candidato, porque são eles que lhes estimulam, e estão a ter algum sucesso no estímulo em que os outros se estão a deixar enrolar, essa aflição.

Mas convém não perder de vista uma coisa. O objectivo de estar na política é ganhar eleições, não é ser o primeiro que apresenta os seus candidatos nem o que ganha mais sondagens. E o estímulo dos eufóricos aos aflitos para que tenham dúvidas sobre a capacidade da sua liderança para ganhar eleições e ponderem mudar de liderança não é um gesto de filantropia, ajudá-los a encontrar o caminho para ganharem eleições, é um gesto de misantropia, convencê-los a cometerem erros para as perder.

Se cairem nessa, o António Costa merece estar onde está e eles merecem-no a governá-los. Se não cairem, correm facilmente com ele nas eleições.

publicado por Manuel Vilarinho Pires às 15:38
link do post | comentar

Pesquisar neste blog

 

Autores

Posts mais comentados

177 comentários
16 comentários
10 comentários

Últimos comentários

Só falta mesmo é a Ordem das Sopeiras, quero dizer...
O jornalismo cairá, por cá, como vai caindo por lá...
O conselho que costumo oferecer aos meus correspon...
Não percebo a admiração. O jornalixo cá do burgo m...
Sim, tem razão, é a frustração de quem pagou a últ...

Arquivos

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Links

Tags

25 de abril

5dias

adse

ambiente

antónio costa

arquitectura

austeridade

banca

banco de portugal

banif

be

bes

bloco de esquerda

blogs

brexit

carlos costa

cartão de cidadão

catarina martins

causas

cavaco silva

cgd

comentadores

comunismo

cortes

costa

crescimento

crise

crise política

cultura

daniel hannan

daniel oliveira

deficit

descubra as diferenças

desemprego

desigualdade

dívida

educação

eleições autárquicas

eleições europeias

empreendedorismo

ensino

esquerda

estado social

euro

europa

férias

fernando leal da costa

fiscalidade

francisco louçã

grécia

greve

impostos

irs

itália

jorge sampaio

jornalismo

justiça

lisboa

malomil

manifestação

marcelo

marcelo rebelo de sousa

mariana mortágua

mário centeno

mário nogueira

mário soares

mba

nicolau santos

obama

oe 2017

orçamento

pacheco pereira

passos coelho

paulo portas

pedro passos coelho

política

portugal

ps

quadratura do círculo

raquel varela

renzi

rtp

salário mínimo

sampaio da nóvoa

saúde

sns

socialismo

socialista

sócrates

syriza

tabaco

tap

tribunal constitucional

troika

ue

união europeia

urbanismo

vasco pulido valente

venezuela

vítor gaspar

todas as tags

Gremlin Literário no facebook

blogs SAPO

subscrever feeds

Sitemeter