Domingo, 28 de Agosto de 2016

Novas d'além-mar

Eu ia começando assim: "Uma das dificuldades de ser brasileiro é que...", mas parei. Um tal começo dava a entender que as dificuldades de ser brasileiro são tão poucas que as podemos pingar assim, de uma em uma, até fazendo ar de pouco caso. Nada mais falso. Ser brasileiro é ser um nababo de dificuldades, é ser um Creso de percalços, um Rotschild de aporrinhações. Se dificuldades fossem colares de pérolas, o brasileiro era um afogado em bolotas. Se empecilhos fossem grãos de areia, a vida do brasileiro era uns tantos Saaras empilhados.

 

Mas bem: dito isto, digamos sempre que uma das dificuldades de ser brasileiro é explicar aos amigos de Portugal que somos não somente capazes de baptizar um infeliz dum filho de Deus com o nome de DALÍRIO, como ainda fazemos dele um senador. Há de ser por remorso ou por compensação; não consigo pensar noutra razão. A ser assim, já vêem que o senado brasileiro é um grande abrigo de gente aviltada à pia da Igreja, porque agasalha não somente o DALÍRIO como também o LINDBERGH, a GLEISI, o RANDOLFE, o REGUFFE (este foi baptizado num banquete, não faço por menos), um GLADSON, um ROMÁRIO e um SÉRGIO PETECÃO.

 

Um colunista daqui, o saudoso Ivan Lessa, dizia que a monarquia brasileira foi à breca para evitar que o século XX trouxesse uma princesa chamada Luzimar. Bolas, vede o que a República nos deu! E é nas mãos de gente assim - é nas mãos do PETECÃO, valha-nos Deus - que ora repousa o futuro da República. Porque são eles que decidirão se dona Dilma (esse nome é feio, sim, mas pelo menos é búlgaro) volta ou continua fora. São eles os que, nos debates, trocam frases imortais como "Cala-te, viciado!", "Vai-te ao diabo, mariola!", "A senhora não se esqueça de que eu a tirei da cadeia!", "Ninguém aqui presta! Nem eu!", e outras que fariam Cícero meter a viola no saco. Ou que guardam o silêncio dos justos enquanto mantêm seus navegadores conectados ao sítio do Red Tube.

 

Quando eu era menino, dizia-se que o Brasil era o país do futuro. Agora estou justamente no meu futuro, e ele é cheio de tipos assim, em cujas mãos repousa o pouco de futuro que me resta. Mas não desanimo: se até a lua tem um futuro, por que o Brasil não teria? Vejamos o que o PETECÃO tem a dizer. Quero dizer, veja lá quem quiser; eu vou gastar umas horinhas do futuro dormindo, que já é noite, e eu afinal tenho um senado para sustentar.

 

publicado por Orlando Tosetto Júnior às 01:46
link do post | comentar
1 comentário:
De deprimidaparasempre a 29 de Agosto de 2016 às 05:39
Desejo uma excelente semana para todos vocês!!

Comentar post

Pesquisar neste blog

 

Autores

Posts mais comentados

177 comentários
16 comentários
10 comentários

Últimos comentários

Mas já era assim há dez, há vinte, há trinta...
Tem razão, mas o homem tem 94 anos ...
As sondagens não contam as opiniões da maioria dos...
É o que merecem os crentes -maioria dos cidadãos, ...
Perfeito

Arquivos

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Links

Tags

25 de abril

5dias

adse

ambiente

antónio costa

arquitectura

austeridade

banca

banco de portugal

banif

be

bes

bloco de esquerda

blogs

brexit

carlos costa

cartão de cidadão

causas

cavaco silva

cgd

comentadores

comunismo

cortes

costa

crescimento

crise

crise política

cultura

daniel hannan

daniel oliveira

deficit

descubra as diferenças

desemprego

desigualdade

dívida

educação

eleições autárquicas

eleições europeias

empreendedorismo

ensino

estado social

euro

europa

férias

fernando leal da costa

fernando ulrich

fiscalidade

fmi

francisco louçã

geringonça

gnr

governo

grécia

greve

impostos

irs

itália

jorge sampaio

jornalismo

jugular

justiça

lisboa

malomil

manifestação

marcelo

marcelo rebelo de sousa

mariana mortágua

mário nogueira

mário soares

mba

miguel relvas

obama

oe 2017

orçamento

pacheco pereira

passos coelho

paulo portas

pedro passos coelho

política

portugal

ps

quadratura do círculo

raquel varela

renzi

rtp

sampaio da nóvoa

saúde

sns

socialista

sócrates

syriza

tabaco

tap

tribunal constitucional

ue

união europeia

urbanismo

vasco pulido valente

venezuela

vítor gaspar

todas as tags

Gremlin Literário no facebook

blogs SAPO

subscrever feeds

Sitemeter