Sexta-feira, 15 de Julho de 2016

O horror é um horror

Não há definição suficiente para o horror. Não há palavras que o definam convenientemente. O horror para ser entendido, deve ser sentido fisicamente, no estômago, na mente, espalhando-se por todo o corpo e dando a sensação de que não aguentamos, que morremos imediatamente de desgosto, de dor, de um sofrimento tão absoluto que a morte imediata é um alívio. Pode acontecer de muitos modos. Para um pai, ou uma mãe, assistir à morte de um filho define o horror.

No Bataclan os terroristas terão, segundo notícias que até agora foram abafadas pelas autoridades francesas, torturado, cortado cabeças, esventrado pessoas, cortado testículos, inserindo-os na boca de homens vivos. Horror que filmaram para fins de propaganda do Daesh.

Porque nos querem proteger abafando a cruel realidade que nos traz a morte com cada vez mais frequência na Europa? Que fim serve, o ocultar da dimensão do ódio que nos movem os radicais médio-orientais? Que vontade de controlo é satisfeita com o ocultar dos corpos de crianças inocentes esmagadas ontem pelo camião de Nice? Porque diacho não hão-de mostrar às potenciais vítimas (todos nós) o que lhes pode suceder numa qualquer próxima manifestação pública?

- Porque os governos da Europa não têm coragem para combater efectivamente a ameaça. A ameaça cresce, e cresceu, por políticas apoiadas pelos nossos governos, Brincaram às invasões, às primaveras, às deposições de ditadores em países tampão e agora pagamos o custo das opções que deram muito dinheiro a ganhar a muita gente das cúpulas, das elites ocidentais. Logo, o impacto deve ser minorado para esconder as vontades de compreensão do porquê nos estarem a matar agora.

Esquecendo a arqueologia da origem, o que tem de ser feito agora para evitar que mais europeus morram é de uma dureza extrema para uma cada vez mais importante parte da população europeia, a muçulmana. A guerra, e é disso que se trata, não pode ser ganha na Síria, no Iraque ou em qualquer outra zona estrangeira. Deve ser combatida cá, com controlo de entrada nas fronteiras, monitorização e acompanhamento interno até talvez à terceira geração, reforço dos sistemas de informação, e repressão forte e segura cada vez que há um novo atentado. Muita firmeza que os actuais governos não estão a demonstrar a custo de centenas de vidas inocentes e a custo da própria capacidade de re-eleição face ao avanço dos radicais como Le Pen e outros. Como sempre foi na história: Crime e Castigo.

É uma história de corrupção moral (dos nossos líderes) de corrupção financeira (das nossas elites) e de miséria humana por parte dos que elegemos.

Dito isto, quando disserem que é preciso esconder as imagens de horror das crianças esmagadas em Nice, pensem que ao não o fazerem - ver com os próprios olhos a morte horrorosa e gratuita de inocentes - estão a proteger os verdadeiros responsáveis: a ajudá-los a esconderem-se.

publicado por João Pereira da Silva às 18:01
link do post | comentar

Pesquisar neste blog

 

Autores

Posts mais comentados

177 comentários
16 comentários
10 comentários

Últimos comentários

Mas já era assim há dez, há vinte, há trinta...
Tem razão, mas o homem tem 94 anos ...
As sondagens não contam as opiniões da maioria dos...
É o que merecem os crentes -maioria dos cidadãos, ...
Perfeito

Arquivos

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Links

Tags

25 de abril

5dias

adse

ambiente

antónio costa

arquitectura

austeridade

banca

banco de portugal

banif

be

bes

bloco de esquerda

blogs

brexit

carlos costa

cartão de cidadão

causas

cavaco silva

cgd

comentadores

comunismo

cortes

costa

crescimento

crise

crise política

cultura

daniel hannan

daniel oliveira

deficit

descubra as diferenças

desemprego

desigualdade

dívida

educação

eleições autárquicas

eleições europeias

empreendedorismo

ensino

estado social

euro

europa

férias

fernando leal da costa

fernando ulrich

fiscalidade

fmi

francisco louçã

geringonça

gnr

governo

grécia

greve

impostos

irs

itália

jorge sampaio

jornalismo

jugular

justiça

lisboa

malomil

manifestação

marcelo

marcelo rebelo de sousa

mariana mortágua

mário nogueira

mário soares

mba

miguel relvas

obama

oe 2017

orçamento

pacheco pereira

passos coelho

paulo portas

pedro passos coelho

política

portugal

ps

quadratura do círculo

raquel varela

renzi

rtp

sampaio da nóvoa

saúde

sns

socialista

sócrates

syriza

tabaco

tap

tribunal constitucional

ue

união europeia

urbanismo

vasco pulido valente

venezuela

vítor gaspar

todas as tags

Gremlin Literário no facebook

blogs SAPO

subscrever feeds

Sitemeter