Sábado, 8 de Fevereiro de 2014

Organização das Nações Intrometidas

A ONU é uma organização onde cinco países têm, em certas matérias, direito de veto; e onde a maioria dos países membros tem regimes não-democráticos.

 

Há boas razões históricas e práticas para o direito de veto - se não existisse, a ONU não teria possivelmente nascido, e, se tivesse, já haveria implodido há muito: ninguém imagina a China, ou os Estados Unidos, ou qualquer dos outros membros permanentes do Conselho de Segurança, a aceitar que a comunidade internacional lhe imponha decisões que considerem ir contra os seus interesses vitais. E a circunstância de a maioria dos países serem governados por ditaduras, ou autoritarismos sortidos, ou teocracias, ou democracias de fachada, não obsta a que, geralmente e na ordem internacional, os países saibam bem o que lhes convém.

 

Este arranjo é sem dúvida discutível e seguramente imperfeito. Mas a longevidade mesma da organização mostra a sua utilidade - o mundo é decerto mais seguro se houver mecanismos permanentes de diálogo entre diplomatas representando interesses diferentes ou antagónicos, assim como o velho jogo do poder ganha em transparência se exposto aos olhos experimentados e cínicos dos profissionais da política internacional e ao escrutínio da comunicação social.

 

Infelizmente, a ONU é também um monstro burocrático. Nenhuma burocracia se reforma por dentro e nenhuma, entregue a si própria, deixa de crescer em dimensão e poder. E como a reforma da ONU interessaria a quem paga muito mas a maioria paga percentagens irrisórias do orçamento (o mínimo fica abaixo de 0,01%, o máximo em 22%, que é o que os EUA suportam, quando cinco países apenas suportam mais de metade do orçamento), resulta que a multidão tem pouco interesse em alterações das quais não beneficia, para já não falar da imensa massa dos funcionários, da própria ONU e das suas agências, cuja maioria não é originária nem do Grande Satã nem de nenhum dos grandes países.

 

Recentemente, o Comité dos Direitos da Criança da ONU resolveu criticar a alegada passividade da Igreja Católica sobre a pedofilia.

 

Pessoalmente, não acho que a Igreja Católica, ou outra qualquer igreja ou confissão, esteja acima de críticas de pessoas e organizações, nem sequer me parece que a hierarquia esteja isenta de culpas na matéria. Mas que organizações multinacionais sob a égide da ONU "exijam" isto e aquilo de uma Igreja, indo a ponto de emitir opiniões doutrinárias sobre questões como o aborto e a contracepção, releva para mim de puro e simples abuso e ingerência: o direito à livre opinião existe para as pessoas e as organizações de pessoas; os Estados não têm opiniões, apenas interesses. Ingerência selectiva, de mais a mais - práticas como a mutilação genital feminina, ou casamentos forçados de menores, são objecto das mesmas atenções? Ah.

 

Pois este Comité resolveu "aconselhar" Portugal por causa das escolas de toureiros, nas quais há, pelos vistos, cerca de 100 alunos. A activista e advogada da FFW (WTF?) esclarece: "Se Portugal quiser cumprir a Convenção dos Direitos das Crianças terá de definir os 18 anos como idade mínima para estas atividades".

 

Suponho portanto que as autoridades irão, prestimosas, alterar a legislação de modo a que as crianças só possam participar nestas actividades cruéis e desumanas a partir dos 18 anos, passando directamente das mãos do pediatra para as alegrias do voto.

 

Seja: um país de cócoras perante quanta patetice estrangeira se inventa em nome de noções absurdas de modernidade e bem-pensismo não pode senão começar por proibir as touradas a adolescentes; e depois outra agência qualquer chamará a atenção para a barbárie da tourada para adultos, como aliás já começa a suceder.

 

Já agora: estes senhores tão preocupados com os desmandos da Igreja Católica e a barbárie de alguns povos atrasados, são de onde? Fui ver. Itália, Brasil, Áustria, Noruega...não está mal. Gana, Bahrain, Arábia Saudita, Egito, Rússia...hum.

 

Antes que esqueça: os EUA não fazem parte. Devem imaginar que os assuntos americanos são para resolver por americanos, ganda malucos.

Tags: ,
publicado por José Meireles Graça às 13:37
link do post | comentar

Pesquisar neste blog

 

Autores

Posts mais comentados

Últimos comentários

Nem a proposito... ainda ontem lia esta noticia......
O autor deveria saber que para o Estado não ir á s...
Os novos inquisidores, a justificar a (miserável) ...
Não, não sou tão mau, Terry. É só retórica.
Não percebo como é que leio as suas alternativas e...

Arquivos

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Links

Tags

25 de abril

5dias

ambiente

antónio costa

arquitectura

austeridade

banca

banco de portugal

banif

be

bes

bloco de esquerda

blogs

brexit

carlos costa

cartão de cidadão

causas

cavaco silva

censura

cgd

comentadores

cortes

crescimento

crise

cultura

daniel oliveira

deficit

desemprego

desigualdade

dívida

educação

eleições autárquicas

ensino

esquerda

estado social

euro

europa

férias

fernando leal da costa

fernando ulrich

fiscalidade

francisco louçã

gnr

grécia

greve

impostos

irs

itália

jorge sampaio

jornalismo

josé sócrates

justiça

lisboa

malomil

manifestação

marcelo

marcelo rebelo de sousa

mariana mortágua

mário centeno

mário nogueira

mário soares

mba

nicolau santos

obama

oe 2017

orçamento

pacheco pereira

partido socialista

passos coelho

paulo portas

pcp

pedro passos coelho

política

portugal

ps

psd

público

quadratura do círculo

raquel varela

renzi

rtp

salário mínimo

sampaio da nóvoa

saúde

sns

socialismo

socialista

sócrates

syriza

tabaco

tap

tribunal constitucional

troika

ue

união europeia

universidade de verão

urbanismo

vasco pulido valente

venezuela

vítor gaspar

todas as tags

Gremlin Literário no facebook

blogs SAPO

subscrever feeds

Sitemeter