Quinta-feira, 10 de Dezembro de 2015

Perrice

Não faço a menor ideia de como é que a Coligação vai reagir à necessidade de maiorias qualificadas para preencher certos lugares. A julgar por casos semelhantes no passado, é possível que arraste os pés até que se arranjem umas personalidades consensuais (em se tratando de lugares no aparelho de Estado há disso aos montes), tudo embrulhado numa barganha qualquer em que uns cedem aqui para outros cederem acolá - chama-se a isso realismo ou sentido de Estado, consoante os autores do cambalacho tenham a mania que têm senso ou gostem de proclamações vácuas.

 

Por mim, encravava tudo. As recentes sondagens, nas quais o PS golpista sobe alguma coisa em detrimento dos vencedores das eleições, vieram mostrar que o eleitorado está a comprar as tretas do fim da austeridade e todas as outras miragens que a trupe costista vem liberalmente servindo. Portanto, a opinião pública só começará a mudar quando a chata da realidade começar a mostrar a contradição entre as promessas e as realizações - e isso não se sabe quando terá lugar, porque depende antes de mais da tolerância dos nossos patrões europeus, para já aflitos com problemas mais momentosos, e da estratégia opaca do PCP.

 

Até lá, pode fazer-se perrice, quando não haja nela consequências económicas negativas - como na nomeação, ou falta dela, de uns parasitas para substituírem outros.

 

Entendamo-nos: a Provedoria de Justiça será talvez útil - não estou documentado. Mas qualquer cidadão que tenha precisado da Justiça sabe que ela se distingue pela arrogância, o preço caro, a ineficiência e a inimputabilidade; assim como o cliente das empresas majestáticas, ou dos monopólios ou oligopólios de facto, ou do sector financeiro, não ignora que se trata geralmente de quadrilhas de ladrões que nem sequer fazem o favor de estarem conscientes desse facto; e os "serviços" públicos estão geralmente ao serviço do Estado, e não do cidadão, que deles se abeira de timorato chapéu na mão. Alguém ouviu um Provedor falar, ou fazer alguma coisa, acerca disto? Eu não.

 

Do Conselho Económico e Social, uma Câmara Corporativa recauchutada, qualquer nova rolha que vá para lá substituir a que lá esteve faria um grande favor à comunidade se defendesse a extinção do organismo, claramente daninho, por assentar no pressuposto falso de que lá estão realmente representados os patrões e trabalhadores.

 

E a Entidade Reguladora da Comunicação Social? Haverá ingénuos que imaginem que algum jornalista aprendeu a escrever, ou a falar, algum cidadão viu o seu direito ao bom nome, ou à privacidade, defendido, ou ainda que algum jornal foi censurado por travestir opiniões de notícias? Ou que o sinistro Azeredo, ou a caricata Estrela Serrano, ou o tipo que lá está agora, garantam realmente alguma coisa? Mais: alguém acredita que alguma coisa que valha a pena pode ser assegurada por um fiscal da comunicação social?

 

Falta o Tribunal Constitucional. Não acho, ao contrário do que geralmente se acha, que uma secção do Supremo especializada em assuntos constitucionais fosse uma boa ideia: para garantir a independência dos juízes tem que se lhes garantir a inimputabilidade, mas a corporação já acha que a majestade da Justiça e a majestade dos magistrados são uma e a mesma coisa - uma instância que tem ao menos em teoria gente que não vem do mesmo galinheiro é uma coisa boa. E boa mesmo que no passado recente tenha havido sentenças cretinas: nunca ninguém inventou um sistema que garanta que os juízes, de carreira ou outros, são sempre capazes de decidir com senso na moleirinha.

 

Mas o Tribunal Constitucional pode esperar - por uma vez, que no geral toda a gente espera por ele sem que jamais os senhores conselheiros se tivessem dado ao trabalho de explicar convincentemente os atrasos.

 

E nós também podemos. Talvez a situação, que tem o lado trágico de ser uma experiência que não pode acabar bem, tenha também o lado cómico, e gratuito, de ver o PS a rabiar para encaixar mais uns inúteis socialistas, desalojando os equivalentes de direita, que já lá estavam.

 

publicado por José Meireles Graça às 11:46
link do post | comentar

Pesquisar neste blog

 

Autores

Posts mais comentados

177 comentários
16 comentários
10 comentários

Últimos comentários

Excelente post. Um verdadeiro serviço público. Ape...
O poeta? Acho que só na Venezuela e no Belize é qu...
Tem razão obviamente, mas há outros destinatários ...
Mas já era assim há dez, há vinte, há trinta...
Tem razão, mas o homem tem 94 anos ...

Arquivos

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Links

Tags

25 de abril

5dias

adse

ambiente

antónio costa

arquitectura

austeridade

banca

banco de portugal

banif

be

bes

bloco de esquerda

blogs

brexit

carlos costa

cartão de cidadão

catarina martins

causas

cavaco silva

cgd

comentadores

comunismo

cortes

costa

crescimento

crise

crise política

cultura

daniel hannan

daniel oliveira

deficit

descubra as diferenças

desemprego

desigualdade

dívida

educação

eleições autárquicas

eleições europeias

empreendedorismo

ensino

estado social

euro

europa

férias

fernando leal da costa

fernando ulrich

fiscalidade

fmi

francisco louçã

geringonça

gnr

governo

grécia

greve

impostos

irs

itália

jorge sampaio

jornalismo

jugular

justiça

lisboa

malomil

manifestação

marcelo

marcelo rebelo de sousa

mariana mortágua

mário nogueira

mário soares

mba

obama

oe 2017

orçamento

pacheco pereira

passos coelho

paulo portas

pedro passos coelho

política

portugal

ps

quadratura do círculo

raquel varela

renzi

rtp

sampaio da nóvoa

saúde

sns

socialista

sócrates

syriza

tabaco

tap

tribunal constitucional

ue

união europeia

urbanismo

vasco pulido valente

venezuela

vítor gaspar

todas as tags

Gremlin Literário no facebook

blogs SAPO

subscrever feeds

Sitemeter