Segunda-feira, 5 de Setembro de 2016

Quem perde os três uma vez, perde-os mais duas ou três *

* Reza um ditado milenar do Alto Minho, ou, se não reza, podia perfeitamente rezar.

Apesar de o ter precedido de mais de um ano, toda a gente sabe que a austeridade foi a receita neoliberal inventada pelo governo do PSD e do CDS para destruir o estado social e os direitos de cidadania, aumentar as desigualdades e, de uma maneira geral, fazer sofrer as pessoas, nomeadamente as mais fracas e desprotegidas, incluindo os funcionários públicos com salários mais elevados e os reformados com pensões superiores a 4.611 euros por mês. Nem as subvenções vitalícias dos políticos, merecidamente conquistadas em longas carreiras contributivas de 8 ou 12 anos, escaparam às suas garras.

Por mais que os responsáveis desse governo balbuciem hoje em dia desculpas esfarrapadas, chegando mesmo a dizer que se viram forçados a cumprir um programa da autoria do governo do PS negociado e contratualizado com as instituições internacionais que impediram in-extremis a falência do país concedendo-lhe crédito que mais ninguém concedia, ou que fizeram o que foi necessário e possível com o dinheiro que não tinham para reerguer um país arrasado pela ruína financeira a que o governo socialista anterior o conduziu, ou, mais demagógico ainda, que a austeridade é a condição natural de quem não tem dinheiro para mais e melhor, basta ouvir as palavras sábias de políticos e comentadores como o João Galamba e o Carlos César, ou o Pacheco Pereira e a Manuela Ferreira Leite, ou a Catarina Martins e as manas Mortágua, para não falar no Daniel Oliveira, no Nicolau Santos e no Pedro Marques Lopes, para ficar a saber que a austeridade em Portugal foi obra do governo do PSD e do CDS.

O PS já fez a reconstrução do hímen, recuperou a virgindade neste domínio e já não tem nada a ver com a austeridade passada. Leiloou a sua virgindade renovada nas eleições de Outubro e, apesar de as ter perdido, ganhou o leilão. Está o António Costa, pois, a substituir a austeridade pelo crescimento que os planos macroeconómicos e respectivas folhas de cálculo nos garantem, ou prometem, dirão alguns cépticos ou invejosos.

O problema é que, quem perde a virgindade uma vez distribuindo dinheiro pelos portugueses, e algum por si próprio e pelos amigos, que quem parte e reparte e para si não deixa a melhor parte ou é burro ou não tem arte, habitua-se à brincadeira e tende a perdê-la mais vezes. Foi o caso da Miss Bumbum Brasil 2014, Indianara Carvalho de sua graça. Se assim for, o PS voltará a espatifar Portugal e a levar-nos de regresso à austeridade, que outros mais malvados se encarregarão de ministrar com o sadismo conhecido.

Não é necessariamente um problema. A Miss Bumbum continuou a refazer o hímen e a leiloar a virgindade recuperada, repetidamente. Há sempre algum milionário mais sensível ao verdadeiro amor. Veremos se o PS consegue repetir a façanha mais uma vez com os eleitores, ou se eles acabarão por se desencantar do amor e começarão a ligar mais à carteira?

publicado por Manuel Vilarinho Pires às 17:03
link do post | comentar

Pesquisar neste blog

 

Autores

Posts mais comentados

177 comentários
16 comentários
10 comentários

Últimos comentários

O poeta? Acho que só na Venezuela e no Belize é qu...
Tem razão obviamente, mas há outros destinatários ...
Mas já era assim há dez, há vinte, há trinta...
Tem razão, mas o homem tem 94 anos ...
As sondagens não contam as opiniões da maioria dos...

Arquivos

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Links

Tags

25 de abril

5dias

adse

ambiente

antónio costa

arquitectura

austeridade

banca

banco de portugal

banif

be

bes

bloco de esquerda

blogs

brexit

carlos costa

cartão de cidadão

causas

cavaco silva

cgd

comentadores

comunismo

cortes

costa

crescimento

crise

crise política

cultura

daniel hannan

daniel oliveira

deficit

descubra as diferenças

desemprego

desigualdade

dívida

educação

eleições autárquicas

eleições europeias

empreendedorismo

ensino

estado social

euro

europa

férias

fernando leal da costa

fernando ulrich

fiscalidade

fmi

francisco louçã

geringonça

gnr

governo

grécia

greve

impostos

irs

itália

jorge sampaio

jornalismo

jugular

justiça

lisboa

malomil

manifestação

marcelo

marcelo rebelo de sousa

mariana mortágua

mário nogueira

mário soares

mba

miguel relvas

obama

oe 2017

orçamento

pacheco pereira

passos coelho

paulo portas

pedro passos coelho

política

portugal

ps

quadratura do círculo

raquel varela

renzi

rtp

sampaio da nóvoa

saúde

sns

socialista

sócrates

syriza

tabaco

tap

tribunal constitucional

ue

união europeia

urbanismo

vasco pulido valente

venezuela

vítor gaspar

todas as tags

Gremlin Literário no facebook

blogs SAPO

subscrever feeds

Sitemeter