Terça-feira, 7 de Fevereiro de 2017

Tenha vergonha, doutor Rebelo de Sousa!

2017-02-07 Mercelo troika banca.jpg

O doutor Rebelo de Sousa vem a público apontar mais uma falha da troika.

Sabemos muito bem que a crítica não é dirigida à troika, mas faz parte de um pacote de críticas ao governo anterior por não ter resolvido os problemas da banca, recitado, em uníssono ou com variações, com os socialistas, os bloquistas e, em menor grau, os comunistas.

Um pacote inteligente. Quanto mais se discutir o problema da resolução do problema, menos se discute o problema da origem do problema, as vigarices concertadas pelo anterior primeiro ministro socialista para financiar as políticas económicas do seu governo, ou apenas para fazer chegar dinheiro aos seus amigos, ou ambas, envolvendo maioritariamente a CGD, banco público tutelado pelo governo, a tolerância do regulador, mas também outros grupos financeiros que, entre o deve e o haver de cruzamentos de interesses variados, encontravam estímulo para também apoiarem as políticas económicas do governo. E quando a discussão se orienta para a origem do problema, por exemplo na comissãos parlamentar de inquérito aos negócios ruinosos da CGD, barram-na na medida das suas possibilidades e dos limites da legalidade.

E ganham todos com este concerto. Os socialistas por encobrirem as vigarices que promoveram e arruinaram a banca, pública e privada. Os bloquistas e comunistas por encobrirem que é tanto ou mais fácil arruinar bancos públicos, com os mecanismos de regulação que têm e a sua porosidade aos interesses privados dos governantes, como privados, quando caem nas garras de pequenos grupos de accionistas de referência determinados a usá-los para financiarem as suas aventuras negociais e empresariais privadas. O doutor Rebelo de Sousa porque tem que se livrar do líder da oposição antes das próximas eleições presidenciais e do seu provável desapoio explícito, que é muito diferente do anterior apoio discreto pela máquina do partido a pedido do candidato sem apoio oficial que levantasse dúvidas sobre a independência do candidato, à sua recandidatura.

Unidos nos interesses e no propósito, também facilmente encontram mensagens comuns, e as críticas à troika, atingindo o governo que implementou o programa acordado entre o anterior gocerno socialista e as instituições da troika, são um dos temas mais comuns.

Só que são tão estúpidas como desonestas. A troika enviou para cá meia dúzia de funcionários entre técnicos e dirigentes, ou que fossem duas dúzias, que trabalharam com a informação que lhes foi dada pelo governo (Sócrates) e pelas instituições com quem reuniram, não trouxe batalhões de auditores para passarem a pente fino balanços de bancos, validando se cada crédito era cobrável ou incobrável, se a apreciação que dele faziam os auditores e reguladores era realista ou optimista, nem andaram a fazer contagens de armazém em empresas para validar os seus balanços. Quando alguém sugere que a troika falhou na detecção da verdadeira situação da banca não está interessado na detecção da verdadeira situação da banca, mas na ocultação da verdadeira situação da banca. Ainda hoje, como se tem visto no esforço para esconder a da CGD.

O doutor Rebelo de Sousa lamenta que a troika não tenha descoberto há mais tempo as fragilidades da banca.

Pois eu lamento que não as tenha descoberto há mais tempo o mais notável comentador televisivo dos últimos quarenta anos, próximo, por amizade e mesmo parentesco, do grupo de vigaristas que, logo a seguir à quadrilha Sócrates, Constâncio, Santos Ferreira e Vara, que conseguiram atirar a gigante CGD ao tapete, maiores prejuízos causou à banca portuguesa, os banqueiros do BES, ou que se sabia delas se calou muito caladinho, não se sabe se para proteger os amigos e parentes eventualmente envolvidos neles. É que, se da sua posição de observação privilegiada próximo dos principais actores, e de arauto de influência absolutamente firmada na opinião pública a nível de até ter feito tombar governos, as tivesse denunciado em tempo, muito dinheiro de poupanças de gente séria teria sido poupado a ser derretido em negócios familiares dos banqueiros, muito dinheiro dos contribuintes teria sido poupado a indemnizar estes lesados pelas vigarices que os banqueiros lhes fizeram, e muito mais seria poupado se eventualmente os socialistas, bloquistas e comunistas vierem a conseguir levar avante a sua intenção de nacionalizar o banco.

Tenha vergonha, doutor Rebelo de Sousa!

publicado por Manuel Vilarinho Pires às 18:20
link do post | comentar
2 comentários:
De cristof a 7 de Fevereiro de 2017 às 20:11
Apoiado;mas devia mandar o sr.comentador ler o relatorio da troika em 1011 que tem lá bem escarrapachado o que se devia ter feito na banca. Esta mania que muitos aldrabões têm de tapar o sol com a peneira, ainda vai rendendo porque os sujeitos passivos são mesmo uns tansos ou amorfos, no mínimo.
De Jose Domingos a 7 de Fevereiro de 2017 às 22:32
Tem a mesma escola do tó chamuça, ainda agora chegou e já está a tratar da vidinha para a segunda volta.
Creio que nenhum povo, merece isto.

Comentar post

Pesquisar neste blog

 

Autores

Posts mais comentados

Últimos comentários

A sua conclusão é excelente.chh8btq
Essas perguntas são muito pertinentes, mas eu não ...
Quantas vidas destruíram, directamente, os milhões...
Os abusos que referi estão definidos no texto: ".....
Está a chamar a atenção, e bem, para o facto de os...

Arquivos

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Links

Tags

25 de abril

5dias

adse

ambiente

antónio costa

arquitectura

austeridade

banca

banco de portugal

banif

be

bes

bloco de esquerda

blogs

brexit

carlos costa

cartão de cidadão

catarina martins

causas

cavaco silva

censura

cgd

comentadores

comunismo

cortes

costa

crescimento

crise

crise política

cultura

daniel oliveira

deficit

desemprego

desigualdade

dívida

educação

eleições autárquicas

ensino

esquerda

estado social

euro

europa

férias

fernando leal da costa

fernando ulrich

fiscalidade

francisco louçã

grécia

greve

impostos

irs

itália

jorge sampaio

jornalismo

josé sócrates

justiça

lisboa

malomil

manifestação

marcelo

marcelo rebelo de sousa

mariana mortágua

mário centeno

mário nogueira

mário soares

mba

nicolau santos

obama

oe 2017

orçamento

pacheco pereira

passos coelho

paulo portas

pedro passos coelho

política

portugal

ps

público

quadratura do círculo

raquel varela

renzi

rtp

salário mínimo

sampaio da nóvoa

saúde

sns

socialismo

socialista

sócrates

syriza

tabaco

tap

tribunal constitucional

troika

ue

união europeia

urbanismo

vasco pulido valente

venezuela

vítor gaspar

todas as tags

Gremlin Literário no facebook

blogs SAPO

subscrever feeds

Sitemeter