Sábado, 21 de Fevereiro de 2015

Etro Varoufakis

Pessoa muito chegada enviou-me ontem um e-mail, dizendo o seguinte:

 

"Bonito de se ver como um só “extremista” e “radical” vale por 500 ou 500 000 betinhos de Massamá os quais mal suspeitam que nem a sua própria sombra tem existência a não ser como porteira (mal-vestida) do “mercado”. 

 

Está pois já provado que a Grécia não é Portugal. A sanidade mental marcou pontos, o que já não é nada mau.

 

A  direita macaca tuga e da Reboleira acusa agora o homem de não ser suficientemente extremista e radical... e que cedeu. Filhos da puta, lacaios de merda!!"

 

 

Respondi como segue:

 

"Convém ler o que foi acordado e não o que se diz que foi acordado. Está aqui. Saliento: "The Greek authorities commit to refrain from any rollback of measures and unilateral changes to the policies and structural reforms that would negatively impact fiscal targets, economic recovery or financial stability, as assessed by the institutions" (sublinhado meu).

 

Para já, o que os Gregos ganharam foi tempo e mais algum financiamento, durante algum tempo, para evitar a bancarrota. Os europeístas todos suspiraram de alívio; este financiamento é para juntar ao calote; e sem a Grécia sair do Euro, o que acabará por suceder mais cedo ou mais tarde, o problema não se resolve e nem a austeridade acaba nem a dívida diminui (convém lembrar que já lhe foi perdoada metade da dívida, mais de 100.000 milhões). Um dia também saberemos até que ponto em tudo isto anda a mão do amigo americano, que deve ter dado uma palavrinha à amiga Ângela, por não querer que a Grécia se lance nos braços dos outros ortodoxos para lá dos Urais".

 

E mais não disse. Mas digo agora: o futuro tem uma imaginação inesgotável, quando se trata de desmentir as previsões que para ele fizemos no passado, e por isso adivinhá-lo é um exercício largamente fútil. Podemos porém ter como certo: i) O programa do Syriza é uma versão urbana, jovem, europeia  e universitária do chavismo e o que não resulta num país com petróleo, nem nunca resultou em país nenhum, menos ainda pode resultar num país completamente encalacrado; ii) Se o Eurogrupo vier a acomodar algumas das reivindicações gregas, por medo do golpe que a saída daria no ideal europeu, e com isso os ânimos serenarem por algum tempo, ficará aberta a caixa de Pandora do também queremos! de certos países, nós incluídos, para não falar da ajuda eleitoral a todas as fantasias gastadoras das esquerdas pátrias e das dos outros países aflitos - um risco que a Europa do Norte, se tiver juízo, não quererá correr; iii) Com Syriza ou com coronéis, o futuro da Grécia, até onde a imaginação alcança, é negro.

 

É ainda possível que o fato/gravata deixe de ser a farda obrigatória dos homens políticos, e a valorização em bolsa da marca ETRO. E esse seria, a meu ver, o único resultado positivo de toda esta perturbação. Mas nem isso, ai de mim, é pacífico.

publicado por José Meireles Graça às 17:35
link do post | comentar

Pesquisar neste blog

 

Autores

Posts mais comentados

Últimos comentários

Quase três meses depois, já não aguentava mais:A f...
Os das ciências ainda-ainda-a-avançar, por desconh...
Belo texto! Digno de republicação, posto as senhor...
Só podia ser um tuga. Um reles. A tutoyer quem não...
Caso Vexa prefira comer peixe cru (sushi ou o que ...

Arquivos

Janeiro 2020

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Links

Tags

25 de abril

5dias

adse

ambiente

angola

antónio costa

arquitectura

austeridade

banca

banco de portugal

banif

be

bes

bloco de esquerda

blogs

brexit

carlos costa

cartão de cidadão

catarina martins

causas

cavaco silva

cds

censura

cgd

cgtp

comentadores

cortes

crise

cultura

daniel oliveira

deficit

desigualdade

dívida

educação

eleições europeias

ensino

esquerda

estado social

ética

euro

europa

férias

fernando leal da costa

fiscalidade

francisco louçã

gnr

grécia

greve

impostos

irs

itália

jornalismo

josé sócrates

justiça

lisboa

manifestação

marcelo

marcelo rebelo de sousa

mariana mortágua

mário centeno

mário nogueira

mário soares

mba

obama

oe 2017

orçamento

pacheco pereira

partido socialista

passos coelho

paulo portas

pcp

pedro passos coelho

populismo

portugal

ps

psd

público

quadratura do círculo

raquel varela

renzi

rtp

rui rio

salário mínimo

sampaio da nóvoa

saúde

sns

socialismo

socialista

sócrates

syriza

tabaco

tap

tribunal constitucional

trump

ue

união europeia

vasco pulido valente

venezuela

vital moreira

vítor gaspar

todas as tags

Gremlin Literário no facebook

blogs SAPO

subscrever feeds