Sexta-feira, 17 de Novembro de 2017

O bom capitalista

2017-11-17 Isabel dos Santos.jpg

Financiamento

Não sei de onde vem a imensa fortuna que a empresária Isabel dos Santos investe um pouco por todo o lado, nomeadamente em Portugal, onde tem investidos alguns milhares de milhões de euros, parte deles a título pessoal, e parte em associação com entidades angolanas como a Sonangol.

Desde a independência, Angola foi transformada pelos dirigentes do MPLA numa plutocracia cleptocrata, ou vice versa, facto que aliás confirma a tendência que se verifica normalmente nos regimes socialistas, de modo algo discreto enquanto mantêm as economias fechadas e mais evidente quando as abrem, e a acumulação de fortuna que ela pessoalmente conseguiu pode não ter sido alheia a esta circunstância.

É muito plausível que, no mínimo, tenha construído a fortuna em monopólios que lhe foram concessionados por ser filha do presidente e, no máximo, a tenha construído em infernos inimagináveis. Eu não sou polícia para investigar se neste caso o que é plausível é mesmo verdadeiro, total ou parcialmente, pelo que honestamente não posso mais do que ter alguma dúvida sobre a origem dos fundos que ela investe. Onde não foi certamente foi na venda de ovos em que, ainda criança, ela se iniciou no mundo dos negócios.

Isto tudo, e muito mais que me escuso de enumerar aqui, para dizer que não sou capaz de garantir nem a transparência nem a ética na origem dos fundos com que ela se financiou para investir em Portugal.

Investimento

Mas conheço, tanto quanto um espectador com um mínimo de atenção consegue conhecer, os investimentos que ela tem feito em Portugal.

Tem investido quase sempre em empresas boas, bem geridas e rentáveis, que actuam em mercados concorrenciais e, portanto, nem extraem da economia rendas de monopólio para transferir para os accionistas nem estão dependentes de favores ou desfavores dos poderes políticos mais intervencionistas, foi até vítima de uma iniciativa legislativa do governo António Costa eticamente duvidosa por ser especificamente dirigida a impossibilitá-la de impedir legalmente uma operação de que ela discordava de outro accionista do BPI, não é conhecida por interferir na gestão das empresas onde investe nem por utilizá-las para albergar amigos, não lhe é conhecido nenhum saque à tesouraria das empresas que domina para financiar aventuras empresariais, nunca arruinou nenhuma empresa, não lhe são conhecidos negócios obscuros.

Ou seja, fazendo os capitalistas com o seu dinheiro aquilo que lhes dá na gana dentro do que lhes é possível fazer, a capitalista Isabel dos Santos faz exactamente aquilo que fez do capitalismo o sistema económico mais decente e próspero da história da humanidade, ou seja, dirige os fundos de que dispõe para investir em projectos competitivos e entrega a sua gestão a gestores profissionais competentes e independentes dos accionistas com a missão de rentabilizarem o investimento, resultando tudo no incremento da competitividade e no enriquecimento desses projectos, da economia e da sociedade, e também dela como investidora.

Em Portugal a empresária Isabel dos Santos é um capitalista exemplar. Fosse a generalidade dos capitalistas portugueses como ela, e a economia portuguesa seria bem mais próspera, e os portugueses de uma maneira geral bem menos empobrecidos por não serem regularmente chamados a salvar com o dinheiro que têm, em impostos, e que não têm, em incremento da dívida pública, empresas e bancos que os capitalistas portugueses, frequentemente com o apoio e a ajuda de governantes, arruinaram.

Para nosso bem, oxalá a purga que está a ser feita pelo governo actual angolano aos beneficiários mais evidentes da plutocracia cleptocrata, ou vice versa, do governo anterior, a começar pelos filhos do anterior presidente, seja com o objectivo de exterminar a plutocracia cleptocrata, seja com o de substituir os plutocratas cleptocratas por outros, não afaste a empresária Isabel dos Santos de Portugal. Se isso acontecer, é muito provável que quem lhe suceda faça pior.

publicado por Manuel Vilarinho Pires às 15:00
link do post | comentar
2 comentários:
De Anónimo a 18 de Novembro de 2017 às 09:11
capitalista estatal isso sim.
De Manuel Vilarinho Pires a 18 de Novembro de 2017 às 11:00
Na parte do financiamento sim, e essa definição pode ser até benevolente para o modo como terá obtido em Angola os fundos que investiu fora de Angola.
Mas na parte que tem a ver connosco, na parte do investimento que faz em Portugal, a Isabel dos Santos é talvez o capitalista menos estatal com investimentos desta dimensão na economia portuguesa, o que nunca investiu em monopólios, ou sectores protegidos, ou dependentes de favores do Estado, e tem até um histórico de desfavores do Estado no caso do BPI.

Comentar post

Pesquisar neste blog

 

Autores

Posts mais comentados

Últimos comentários

desde que me conheço os EUA em nome de se defender...
Depois do PPC, a minha favorita na AR, bem melhor ...
300 contos mensais de bolsa nos anos 90 para "subs...
Há matéria neste artigo a aproveitar pelos explora...

Arquivos

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Links

Tags

25 de abril

5dias

ambiente

angola

antónio costa

arquitectura

austeridade

banca

banco de portugal

banif

be

bes

bloco de esquerda

blogs

brexit

carlos costa

cartão de cidadão

causas

cavaco silva

censura

cgd

comentadores

cortes

crescimento

crise

cultura

daniel oliveira

deficit

desemprego

desigualdade

dívida

donald trump

educação

eleições autárquicas

ensino

esquerda

estado social

ética

euro

europa

férias

fernando leal da costa

fernando ulrich

fiscalidade

francisco louçã

futebol

gnr

grécia

greve

impostos

irs

itália

jorge sampaio

jornalismo

josé sócrates

justiça

lisboa

malomil

manifestação

marcelo

marcelo rebelo de sousa

mariana mortágua

mário centeno

mário nogueira

mário soares

mba

obama

oe 2017

orçamento

pacheco pereira

partido socialista

passos coelho

paulo portas

pcp

pedro passos coelho

portugal

ps

psd

público

quadratura do círculo

raquel varela

renzi

rtp

rui rio

salário mínimo

sampaio da nóvoa

sns

socialismo

socialista

sócrates

syriza

tabaco

tap

tribunal constitucional

trump

ue

união europeia

vasco pulido valente

venezuela

vítor gaspar

todas as tags

Gremlin Literário no facebook

blogs SAPO

subscrever feeds