Quarta-feira, 1 de Agosto de 2018

Para Rui Rio o PSD é a mesma coisa que o BE

2018-08-01 Rui Rio, Elina Fraga e Silvano.jpg

Desde que apresentou a sua candidatura à presidência do PSD, e continuando depois de ter sido eleito, Rui Rio e a sua direcção fizeram da insinuação, sem concretizar, como é próprio da insinuação, que o PSD é um partido de gente desonesta uma das linhas sistemáticas da sua estratégia de comunicação.

Que o partido precisa de um banho de ética, que se há investigações judiciais, aliás desencadeadas por uma denúncia anónima, possivelmente de alguém do próprio partido, a nomeações suspeitas de assessores em autarquias do PS e do PSD, os factos ocorreram durante a direcção de Passos Coelho, que provavelmente há especuladores imobiliários no PSD.

Porque se dedica a fazer insinuações, não identificadas, sobre a falta de ética dos militantes, não identificados, do PSD, só ele saberá a razão, e não podemos mais do que especular para tentar adivinhá-la.

Talvez porque a insinuação recorrente pode induzir o público no engano de acreditar que quem a faz está acima dos comportamentos reprováveis que insinua, numa lógica de o primeiro a apontar o dedo merece imunidade? Talvez. Mas na realidade não está, e a insinuação costuma até ser usada por pessoas desonestas para sujar o nome de pessoas mais honestas do que elas. Há mesmo vários ditados populares para explicar que quem é muito desconfiado por natureza é geralmente desonesto, mas eu não me lembro de nanhum para citar aqui.

Talvez por ter esperança que as insinuações o beneficiem por lançar suspeitas sobre os seus adversários políticos? Se for por este motivo, não parece particularmente inteligente. Porque se no interior do PSD as insinuações o podem beneficiar relativamente aos alvos delas, que por não serem concretizados podem ser potencialmente todos os outros militantes do partido, com alguma habilidade comunicacional podendo sugerir a excepção dos que o rodeiam, no exterior do partido as insinuações apenas lançam suspeitas sobre o PSD e desse modo apenas beneficiam os outros partidos. Estes partidos não precisam de ter génios do tacticismo político, e alguns deles têm figuras muito competentes em tacticismo político, a começar pelo primeiro-ministro, para transformarem o "banho de ética" numa autocrítica ao PSD, o comentário sobre a investigação aos assessores numa crítica ao PSD de Passos Coelho, neutralizando o facto de a investigação também abranger autarquias do PS, e a admissão de que também pode haver especuladores imobiliários no PSD uma neutralização da pressão mediática sobre os especuladores imobiliários do BE, deixando a ideia de que são equivalentes aos do PSD.

Na boca do presidente Rui Rio e da sua direcção o PSD é, pois, um partido de gente desonesta. Incluindo-me a mim, que ao longo dos meus 61 anos de vida acumulei na política uma fortuna de 128,24€ (cento e vinte e oito euros e vinte e quatro cêntimos) em sete senhas de presença na Assembleia de Freguesia da Venteira para que fui eleito em 2017.

Há no entanto uma hipótese alternativa para explicar esta insinuação sistemática sobre a falta de ética no PSD. A de ser, não uma estratégia de comunicação, mas acidental.

Quando admitiu que pode haver casos como o de Ricardo Robles no PSD Rui Rio pode apenas ter caído ingenuamente na armadilha infantil que lhe foi estendida pela jornalista para lhe sacar um título sensacionalista quando lhe perguntou "Pode garantir que algum vereador do PSD ou deputado não faz fortuna à conta da especulação imobiliária?". A pergunta tem erros de sintaxe, mas a armadilha é bem visível. E em vez de lhe ter respondido, como podia e devia, algo que desviasse o foco da questão de no PSD se fazer especulação imobiliária como o bloquista foi apanhado a fazer, fazendo do PSD uma coisa semelhante ao BE, para o facto de, se alguém do PSD fizesse especulação imobiliária não estaria a violar hipocritamente em privado, como o bloquista esteve, os princípios morais e políticas que prega, porque a especulação imobiliária não é reprovável à luz dos princípios em que acredita e que prega quem acredita na economia de mercado, Rui Rio caiu na armadilha e admitiu que no PSD também pode haver especuladores imobiliários.

Se tiver acontecido isto Rui Rio errou, não por ter apontado os seus tiros ao próprio partido, mas por não ter a competência para comunicar que alguém com a ambição e na circunstância de um dia poder chegar a primeiro-ministro precisa de ter.

Não é melhor nem pior, é mau na mesma.

E eu não tenho meios de avaliar nem posso mais do que especular se Rui Rio tem um discurso que prejudica o PSD por intenção ou falta de preparação.

Uma explicação alternativa é a de ele ter conhecimento de casos de fazer fortuna dentro do seu círculo mais chegado de apoiantes e não ter sido capaz de não o reconhecer?

Venha o Diabo e escolha.

Tags: , , ,
publicado por Manuel Vilarinho Pires às 19:07
link do post | comentar

Pesquisar neste blog

 

Autores

Posts mais comentados

Últimos comentários

E talvez na Suécia apenas tenham ardido 80 carros ...
Meu caro,Uma vez que passou da simples discussão p...
O sr. Bouceiro tem problemas cognitivos e ainda nã...
Sim, apelidar o sistema eleitoral português de dem...
Depois de ler o post apenas posso concluir que és ...

Arquivos

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Links

Tags

25 de abril

5dias

ambiente

angola

antónio costa

arquitectura

austeridade

banca

banco de portugal

banif

be

bes

bloco de esquerda

blogs

brexit

carlos costa

cartão de cidadão

causas

cavaco silva

censura

cgd

comentadores

cortes

crescimento

crise

cultura

daniel oliveira

deficit

desemprego

desigualdade

dívida

donald trump

educação

eleições autárquicas

emigração

ensino

esquerda

estado social

ética

euro

europa

férias

fernando leal da costa

fernando ulrich

fiscalidade

francisco louçã

futebol

gnr

grécia

greve

impostos

irs

itália

jorge sampaio

jornalismo

josé sócrates

justiça

lisboa

manifestação

marcelo

marcelo rebelo de sousa

mariana mortágua

mário centeno

mário nogueira

mário soares

mba

obama

oe 2017

orçamento

pacheco pereira

partido socialista

passos coelho

paulo portas

pcp

pedro passos coelho

portugal

ps

psd

público

quadratura do círculo

raquel varela

renzi

rtp

rui rio

salário mínimo

sampaio da nóvoa

sns

socialismo

socialista

sócrates

syriza

tabaco

tap

tribunal constitucional

trump

ue

união europeia

vasco pulido valente

venezuela

vítor gaspar

todas as tags

Gremlin Literário no facebook

blogs SAPO

subscrever feeds