Domingo, 30 de Abril de 2017

O meu 26 de Abril

Nos meus dois posts anteriores informei com humildade a que actividades dediquei a ponte e o feriado do 25 de Abril, num dia passeando na cidade com o nariz no ar, com a tranquila certeza de não topar com manifestações, porque já não há, e no outro carregando cestos de compostagem.

 

O meu verdadeiro 25 de Abril, porém, foi a 26, um dia memorável. O BPI, uma instituição daninha, trespassou-se para Espanha. E do novo gestor, Pablo Forero, que não conheço, posso dizer o que o palhaço Tiririca dizia de si mesmo, pedindo o voto: pior não fica!

 

O dia não foi perfeito: Fernando Ulrich, um ser pertencente à multímoda espécie humana, sobre cujas qualidades me pronunciei inúmeras vezes (aqui e aqui, por exemplo) recebeu uma indemnização de 465,5 mil euros, em vez das 100 chibatadas que mais adequadamente coroariam a obra que deixou em herança, para não falar do risco de continuar a poluir as instalações da sede com a sua presença remunerada; Santos Silva, uma conhecida rolha do regime, que pelo menos uma vez já honrei com a atenção que não merece, também junta uma prebenda às que já tem, ficando como presidente honorário e a presidir a uma nova comissão dedicada à responsabilidade social. Seria desejável que, em troca do estipêndio que decerto irá receber, e que o artigo, por pudor, omite, fizesse um voto de silêncio. Mas não, é de presumir que se venha a aliviar junto da comunicação social dos lugares-comuns que o tema da responsabilidade social haverá de inspirar naquela calculista cabeça - as rolhas, como é sabido, não afundam.

 

E falta ainda Lobo Xavier, um histórico do CDS que vai vice-presidir a não sei quê e que, da Quadratura do Circulo, um programa que por inércia continuo a ver, não cessa de gabar as virtudes da geringonça, os méritos de Costa, a habilidade política de Costa e a bondade dos novos caminhos que imprimiu ao país em geral, e à banca em Portugal. Sim, percebo.

 

Pode de tudo isto inferir-se que detesto esta gente? Claro que não, que ideia: eu, Ulrich, odeio, Santos desprezo e para Xavier guardo a secreta admiração que sempre tive por videirinhos.

publicado por José Meireles Graça às 17:27
link do post | comentar
Quinta-feira, 21 de Abril de 2016

Angola é vossa

A geringonça demole todos os dias o magro legado de sanidade e prudência que o estado de coisas anterior deixou - chama a isso reversões - e, consequentemente, todas as previsões sobre o desempenho da economia, de instituições estrangeiras como nacionais, nestas incluindo as do próprio governo, não cessam de ser revistas negativamente, ao mesmo tempo que os indicadores que vão aparecendo, como o do desemprego ou o das trocas com o exterior, derrapam.

 

Os grupos sociais redescobrem o valor do protesto, da manifestação, do corte de estradas, da agitação, e quando o clamor é persistente, como no caso dos lesados do BES, ou ameaça sê-lo, como no diferencial dos preços dos combustíveis entre Portugal e Espanha, Costa, ou alguma das nulidades da sua constelação governatória, despeja uma quantidade moderada de milhões de Euros, preferentemente sob a forma de promessa (os lesados do BES) ou de transferência do custo do silêncio de umas categorias de cidadãos para outras que não se apercebam da punção (caso da diminuição do preço da energia para agregados pobres, que será compensada pelos restantes consumidores, "ricos" para este efeito). No caso do combustível a rapidez da solução encontrada resulta também do facto de alguns lesados poderem subtrair-se à longa mão do Estado, indo abastecer-se a Espanha, pelo que estes, e só estes, beneficiarão de um regime de excepção - as distorções de concorrência interna, e a burocracia (é apenas uma questão de tempo até se descobrir que o gasóleo mais barato nem sempre se destina ao transporte internacional, donde nascerá toda a sorte de controles) que esta solução delirante vai provocar, que se danem.

 

Não é que as manifestações tenham o fulgor que tiveram nos tempos iniciais do governo PàF - o PCP vela para que haja paz social e no caso dos professores, um aguerrido e numeroso grupo propenso a arruaças, está mesmo no Executivo por ter lá um demente que funciona como sindicalista da FENPROF. Mas, mesmo assim, a pútrida barrica de banha ambiciosa (é assim que continuo a ver o sorridente Costa, mesmo quando já quase toda a gente esqueceu a forma como se alcandorou ao Poder) tem os instintos do seu camarada Guterres, de infausta memória e auspicioso presente: a solução para as reivindicações é ceder para que emudeçam.

 

um PS que vive neste mundo e esse acha que a União Europeia é o seu salvo-conduto para impedir que o instinto das bases e do típico dirigente, as necessidades da maioria de esquerda e os sonhos do eleitorado a quem prometeram alívio, benesses e aumentos, conduzam ao IV resgate. E para isso basta fazer o número do bater o pé à Europa e ceder, à última hora, oferecendo às moças voluntariosas do BE e aos calculistas do PCP o desalento da inevitabilidade.

 

Sucede porém que esta pecha de resolver problemas à medida que vão surgindo, sem nenhum desígnio, nenhuma verdadeira ideia para o País que não seja um amontoado de tretas voluntaristas, nenhuma consideração estratégica, e confiar em que a Europa garante, paga, apara todos os jogos, e fará tudo isso no nosso interesse, desafia o senso, a prudência e a História - a colonização sempre se fez no interesse do colonizador, mesmo quando o interesse do colonizado também foi ocasionalmente servido.

 

No caso do BPI o que se passou recentemente foi isto - dispenso-me de elaborar.

 

Quanto ao que se vai passar também me dispenso porque um bom resumo está aqui, e conclui assim:

 

No final do processo:

1) O BPI fica com menos negócio em Angola (numa altura de enorme fragilidade dos bancos portugueses).
2) O BPI fica nas mãos do CaixaBank (meses depois de o Banif ter ficado nas mãos do Santander).
3) Portugal arranja um conflito com Angola.

 

Ai e tal mas o autor tem umas teses delirantes sobre mulheres, filosofia, teologia, e um par doutros assuntos.

 

Pois, mas nisto - tem razão.

Tags: ,
publicado por José Meireles Graça às 11:31
link do post | comentar

Pesquisar neste blog

 

Autores

Últimos comentários

Como me fiei em endereços do seu perfil, recebi a ...
Perceber da Vida é o melhor, gato. Obrigado.
Muito bom post, no seu estilo. Mordaz, q.b.E que e...
Extintores (https://www.comprarextintoresbaratos.e...
Além de concordar, acho graça ao seu estilo de red...

Arquivos

Setembro 2019

Agosto 2019

Julho 2019

Junho 2019

Maio 2019

Abril 2019

Março 2019

Fevereiro 2019

Janeiro 2019

Dezembro 2018

Novembro 2018

Outubro 2018

Setembro 2018

Agosto 2018

Julho 2018

Junho 2018

Maio 2018

Abril 2018

Março 2018

Fevereiro 2018

Janeiro 2018

Dezembro 2017

Novembro 2017

Outubro 2017

Setembro 2017

Agosto 2017

Julho 2017

Junho 2017

Maio 2017

Abril 2017

Março 2017

Fevereiro 2017

Janeiro 2017

Dezembro 2016

Novembro 2016

Outubro 2016

Setembro 2016

Agosto 2016

Julho 2016

Junho 2016

Maio 2016

Abril 2016

Março 2016

Fevereiro 2016

Janeiro 2016

Dezembro 2015

Novembro 2015

Outubro 2015

Setembro 2015

Agosto 2015

Julho 2015

Junho 2015

Maio 2015

Abril 2015

Março 2015

Fevereiro 2015

Janeiro 2015

Dezembro 2014

Novembro 2014

Outubro 2014

Setembro 2014

Agosto 2014

Julho 2014

Junho 2014

Maio 2014

Abril 2014

Março 2014

Fevereiro 2014

Janeiro 2014

Dezembro 2013

Novembro 2013

Outubro 2013

Setembro 2013

Agosto 2013

Julho 2013

Junho 2013

Maio 2013

Abril 2013

Março 2013

Fevereiro 2013

Janeiro 2013

Dezembro 2012

Novembro 2012

Outubro 2012

Setembro 2012

Agosto 2012

Julho 2012

Junho 2012

Maio 2012

Abril 2012

Links

Tags

25 de abril

5dias

adse

ambiente

angola

antónio costa

arquitectura

austeridade

banca

banco de portugal

banif

be

bes

bloco de esquerda

blogs

brexit

carlos costa

cartão de cidadão

catarina martins

causas

cavaco silva

cds

censura

cgd

cgtp

comentadores

cortes

crise

cultura

daniel oliveira

deficit

desigualdade

dívida

educação

eleições europeias

ensino

esquerda

estado social

ética

euro

europa

férias

fernando leal da costa

fiscalidade

francisco louçã

gnr

grécia

greve

impostos

irs

itália

jornalismo

josé sócrates

justiça

lisboa

manifestação

marcelo

marcelo rebelo de sousa

mariana mortágua

mário centeno

mário nogueira

mário soares

mba

obama

oe 2017

orçamento

pacheco pereira

partido socialista

passos coelho

paulo portas

pcp

pedro passos coelho

populismo

portugal

ps

psd

público

quadratura do círculo

raquel varela

renzi

rtp

rui rio

salário mínimo

sampaio da nóvoa

saúde

sns

socialismo

socialista

sócrates

syriza

tabaco

tap

tribunal constitucional

trump

ue

união europeia

vasco pulido valente

venezuela

vital moreira

vítor gaspar

todas as tags

Gremlin Literário no facebook

blogs SAPO

subscrever feeds